Incêndios

Parece que os incêndios acabaram e voltamos a ter internet. Por causa deles estivemos uns dias desligados. Se fosse só isso, seria até uma coisa boa, uma pausa. Infelizmente não foi.

Guardei um artigo, da autoria de Soromenho-Marques, publicado no Diário de Notícias. Publico-o agora, pois acho que vale a pena lê-lo e ficar a pensar…

por VIRIATO SOROMENHO-MARQUES 29 agosto 2013 Diário de Notícias

 No distante dia 27 de Abril de 1971 subia à tribuna da Assembleia Nacional um deputado de 44 anos, integrado na chamada Ala Liberal da Primavera marcelista, de seu nome José Correia da Cunha. Licenciado em Agronomia (1949) e Geografia (1963), colaborador de Orlando Ribeiro, Correia da Cunha não saberia que ao ler o seu discurso intitulado “O Ordenamento do Território, Base de uma Política de Desenvolvimento Económico e Social”, estava a inaugurar a política pública de ambiente, tentando transformar Portugal num país mais civilizado. Recordo Correia da Cunha, felizmente ainda entre nós, como homenagem aos corajosos bombeiros caídos na luta contra os incêndios que atingem o país. Como visionário e homem de ação, Correia da Cunha sabia que Portugal iria ficar desequilibrado demograficamente nas décadas seguintes. Milhões de portugueses sairiam das zonas rurais em direção ao litoral. Era de interesse nacional ordenar o território, proteger a paisagem, a capacidade produtiva dos solos, preservar o capital natural para as gerações futuras. Nada disso aconteceu. Os interesses particulares prevaleceram sobre o interesse geral. Os incêndios que devastaram 426 000 e 256 000 hectares, respetivamente, em 2003 e 2005, fazendo de Portugal o campeão europeu de áreas ardidas, são o sinal de um país doente. Um país que ao fugir das chamas foge de si próprio. Uma das causas principais reside no desordenamento florestal. As reportagens televisivas mostram-nos, sistematicamente, bombeiros e populações cercados por eucaliptos em chamas. Chegado a Portugal em 1829, esta espécie exótica ocupa agora 26% do espaço florestal, e é o grande combustível dos incêndios florestais. Quando vejo ministros, com ar pesaroso, lamentarem a morte dos bombeiros, apetece-me perguntar-lhes:Onde estavam os senhores no dia 19 de Julho de 2013?”. Nesse dia foi aprovado, em Conselho de Ministros, o ignóbil Decreto-Lei n.º96/2013, que, debaixo da habitual linguagem tabeliónica usada para disfarce, estimula ainda mais a expansão caótica da plantação de eucaliptos, aumentando o risco de incêndio, e fazendo dos bombeiros vítimas duma política de terra queimada ao serviço dos poderosos.

(sublinhados meus)

Agosto / August

Agosto é sempre um mês de que não gosto. E este ainda foi pior.
Muito calor, muitos fogos, muitas perdas.
August is always a month I do not like. And this was even worse.
Too hot, many fires, many losses.
Agosto 2013 copyO que foi mesmo bom (e já não é pouco) foi uma semana com a sobrinhalhada e netas.
What was really good (and is no longer little) was a week with nephews and grandchildren.

Sonhar ainda é de graça! Dreaming is still free!

Nova imagem copy

Nova imagem copy

Não é preciso tanto. Mas era agradável ;)
No need so much. But it would be nice ;)
(imagens do google image)

Há muito tempo que sonho quanto gostaria de juntar, mesmo em pessoa, um grupo de amigas, pessoais e/ou virtuais, numa comunidade/associação de bordadeiras ou bordadoras! Seria um incentivo para prosseguir com muitos trabalhos e projectos, trocar experiências e aprender coisas novas. Não para coscuvilhar, invejar etc., etc. (todas as coisas más)… Só mesmo para partilhar o interesse e amor ao bordado, Português sim, mas não só. Esbarro sempre no eventual local, que tem que ter determinadas condições: boa luz, bom espaço, boas cadeiras, boas mesas. Tenho sonhado com museus, que pudessem dar essas condições todas. Juntas de Freguesia? Ah! aqui no Porto ou arredores, é claro, e com boa acessibilidade. É pedir muito, não é?

For long I dream how much I would like to join, in person, a group of friends personal and/or virtual, in a community / association of embroiderers or embroiders! It would be an incentive to go on with many works and projects, exchange experiences and learn new things. Not to gossip, envy etc.. etc.(all those bad things)… Just to share the same interest and love of embroidery, Portuguese yes, but not only. Always backstop in the possible place, it has to have certain conditions: good light, good space, good seats, good tables. I have dreamed of museums, which could give all these conditions. Ah! here in Porto or surroundings, of course.

CTT – Correios de Portugal

Ctt - Correios de Portugal

Há muito que ando para escrever sobre os nossos CTT – Correios de Portugal. Este é o momento, em que o governo quer pri-va-ti-zar um Serviço Público de excelência!
O posto dos Correios do meu bairro tem (e sempre teve) um serviço impecável. Ao longo dos anos já conheci várias(os) funcionárias(os), todos sempre com um atendimento simpático e disponível. E um sorriso na cara.
Fico sempre encantada e enternecida com a afabilidade e a personalização do atendimento quando assisto ao levantamento das reformas de pessoas muito simples e com muita idade. Os reformados entregam os papeis, as carteiras às funcionárias para  procurar o que é preciso e, depois, guardar o dinheiro – contado em cima do balcão à vista de todos. Entretanto perguntam pelos filhos, netos e a saúde de todos.

For long I want to write about our CTT – Post Office of Portugal. This is the moment, when the government wants to pri-va-ti-ze an excellent Public Service!
The post office in my neighborhood has (and always had) an impeccable service. Over the years  have met many staff members, everyone always with a friendly customer service and affordable. And a smile on their faces.
I am always delighted and tenderly with the affability  and personalized of care when I watch the lifting of the reforms of very simple and old people. Retired people give their bags to the employees to look for what is needed, and then keep the money – counted on the counter top in plain sight. Meanwhile they ask for the children, grandchildren and health of all.

Nova imagem copy

Há dias tive de enviar uma série de coisas para a Holanda. Não sabia bem se deveria fazer pacotes até 2Kg ou se enviar tudo junto. Levei tudo para lá e ajudaram-me a decidir, fazendo contas às várias hipóteses.
Quando fui para escrever o endereço, verifiquei que tinha todos os elementos, exceto o nome da rua (sempre esquisitos, para nós, os nomes em holandês!) e nº da porta! Nenhum problema: está aqui o número de telefone do Posto, quando chegar a casa telefona, soletra o nome da rua e eu escrevo – entretanto a encomenda fica aqui à minha beira! E assim foi! Melhor serviço público não há!
A while ago I had to send a number of things to Holland. Not sure if I should do  2kg packets or send everything together. I took everything to the post office and there I was helped to decide, doing the accounts to various hypotheses.
When I wanted to write the address, I found that had all the elements except the street name (always weird for us the names in Dutch!)!
No problem – she said – here’s the phone number of the Post Office; when you get home phone us, spell the name of the street and I write – though the package is here at my side! And so it was! There is no better Public Service!
E a cereja em cima do bolo: vendem estes pequenos panos para limpar os óculos ou ecrã do computador e uma caixa de óculos a condizer com imagens de Bordados Tradicionais Portugueses.  Vejam mais em Terra Lusa.
And the cherry on the cake: they sell these little cloths to clean the glasses or the computer screens and matching glass boxes with 
images from Traditional Portuguese Embroideries. See more at Terra Lusa.Ctt giftsCtt giftsE é isto. As nossas jóias estão a ser privatizadas e a qualidade do Serviço Público que resta – e que tanto custou a conquistar – a ser posta em causa, com todos os despedimentos previstos. Em nome de quê?
Haja bom senso! Não é a empobrecer nem a destruir o Serviço Público Português, que se equilibra o desenvolvimento económico e social.

no campo … / in the contryside

porta muito velha / very old doorcerca de uma semana, no campo – foi bom! ir às alfaces e nabiças, regar e ver o batatal e o cebolinho. Ainda se acendeu o fogão a lenha e a lareira, pois estava frio.
about a week in the countryside – it was good! go reaping fresh lettuces and turnip greens, watering and see potato fields and chives. Still lit the wood stove and the fireplace because it was cold.


ir apanhar as laranjas e limões às árvores; à noitinha sentir o aroma das laranjeiras cheias de flor e frutos!
go and pick oranges and lemons from the trees; in the evening feel the fragrance from the orange trees filled with flowers and fruits!

e, finalmente, a primavera apareceu!
and, finally, the spring appeared!

novas fotografias / new pictures

Completando a entrada anterior, mais umas fotografias das decorações…
Some decoration pictures completing the former post

This slideshow requires JavaScript.


Os cestos vazios foram depois cheios com fruta da quinta. Aliás toda a decoração foi feita com a “prata da casa”.
Later the empty baskets were filled with fruit from the farmer. As a matter of fact all decoration was done with “the silver of the house” as we say in Portuguese.

Sorte, a minha / Lucky me (II)

Há cerca de um ano descobri o blogue Ma Mercerie  e  a loja da Chloe Patricia. E fiquei tão encantada com os dedais japoneses, que a acrescentei aos blogues que sigo.
A Chloe adapta esses dedais a almofadas de alfinetes e faz também uma versão maior para argolas de guardanapos e pulseiras. O resultado é belissimo.

A year ago I found the blog Ma Mercerie and Chloe Patricia’s shop. I was so delighted with the Japonese thimbles that I’ve added her to the blogs I follow. Chloe convert her thimbles to pincushions and makes a larger version to napkin rings and bracelets. The result is stunning.

Em Novembro último escreveu um post explicando como fazia a versão mais simples (duas cores) desses dedais. E desafiava-nos a partilhar num grupo do flickr  os dedais que fizessemos. Resolvi tentar. Nos comentários fui falando das minhas dúvidas e dificuldades. A Chloe Patricia, com a maior das paciências, foi escrevendo mais post desfazendo as dúvidas. As dificuldades nem tanto, porque acho que não tenho nem o material (boa desculpa!) nem a(s) habilidade(s) para resultados muito bons. Mas acredito que quantos mais fizer, melhor será o resultado. Só mais tarde percebi que entre os participantes do grupo seria sorteada uma almofada de alfinetes. Fiz dois: o primeiro ficou muito mau, o segundo um bocadinho melhor (?), mas como era para um sorteio, perdi a vergonha e publiquei os dois no grupo. E não é que tive a sorte de ganhar!
Este é um trabalho delicado que requer, para além de bons olhos, paciência e delicadeza. O resultado é uma pequena jóia!
E a querida Chloe Patricia acrescentou à almofada uma base de dedal feita por ela. A base é o mais difícil e mais demorado de se fazer, para mim!

Este mês há outro sorteio.

para se fazer ideia do tamanho
to imagine the scale

Last November she wrote a post explaining how she does the thimbles, a single version (two colors). And she challenged to join a flickr’s group  for sharing the thimbles made by us. I decided to try. I ‘ve written about my doubts and difficulties in the comments. With a great patience Chloe Patricia wrote more posts solving  the doubts. My difficulties not very, because I think I haven’t either the right material (good excuse!) or the skill(s) for good results. But I believe as more thimbles I do better will be the result. Later I understood there would be a draw and one participant would receive a pincushion. I did two: the first was too bad, the second a little bit better (?). I lost my shame (as we used to say in Portuguese) and published the two thimbles made by me. And I was so lucky I won a Chloe Patricia thimble!

This work is delicate and requires patience and delicacy, and a very good sight too. The result is a tiny jewel.
Chloe Patricia even added a thimble base made by her. The base is the most difficult and slowest part to do, to me!

This month there is another draw.

The place I choose to keep it. The needle and pin tools are just as I’ve inherited them from my mother (with the needles and pins).

Thank you Chloe Patricia!

Sorte, a minha / Lucky me (I)


Just before I leave to the country for Christmas holidays with aaalll my family I’ve got the book Denise Felton sent me. I won it in a Craftgossip giveaway (Craftgossip is a craft blog divided into sub-blogs, each one with its own editor). I always read Denise at Craftgossip Needlework. Denise is kind and nice, with a fine sense of humour, and always very supportive. She points out the best needlework news all over the world.
The book is  Say it with stitches  by Sharon and Kristin Jankowickz, a very nice book. Thanks Denise!

Mesmo antes de ir para o campo, passar as férias de Natal com tooooda a família, recebi o livro que a Denise Felton me enviou. Ganhei-o num sorteio do Craftgossip (um blog sobre crafts dividido em sub-blogues, cada um com o seu próprio editor). Leio regularmente a Denise no Craftgossip Needlework. Denise é afável e simpática, com fino sentido de humor, e sempre muito motivadora. Denise mostra-nos as novidades de todo o mundo das agulhas e linhas.
O livro é Say it with stitches  by Sharon and Kristin Jankowickz. Um bom livro. Obrigada Denise!

Janeiro

Deve ser ressaca de todo o reboliço do Natal ou do tempo frio, sei lá. O certo é que, enquanto vejo toda a gente a fazer grandes planos para o novo ano (o que vão – ou não – fazer) a mim não me apetece fazer rigorosamente nada. Planos muito menos.
  
Costumo dizer (em Dezembro!) que em Janeiro é que vai ser bom ir aos saldos e blablabla. Chega Janeiro e só saio para comprar o essencial, de preferência por perto.
Num impulso, resolvi mudar de blogue. E aqui ando eu às voltas com o wordpress.com, a querer voltar atrás e a não saber como, a conversar com a equipa e os voluntários do apoio wordpress. Lá vou fazendo o que quero, mas não tudo … não se pode ter tudo, não é?

Até ganhei dois sorteios (em Dezembro!), que já recebi e quero mostrá-los.
Mas não gosto do mês de Janeiro. Melhor dizendo: não gosto de me sentir assim, que o coitado do mês não tem culpa nenhuma!
Até amanhã! espero.

It must be the hangover from all that Christmas confusion or the cold weather, I don’t know! Fact is, while I see everybody doing great plans for new year (what are going – or not – to do), I only desire to do just nothing at all. Plans, no thanks!

I use to say (in December!)  January it will be so goood with all the sales and blablabla. Here is January and I only get off  for the essential, preferably near home. In a urge I decided to tranfer my blog. And here I am around the wordpress.com, sometimes wanting to go back and unknowing how to, talking with wordpress team and volunteer support. I’m getting what I want, but not always…we can’t get everything, isn’t it?

I even won two giveways (in December!), already arrived and want talk about them.
But I don’t like January month. Better said: don’t like feeling  like this, poor month has no guilt!

See you tomorrow! I hope.