Difícil e lento / Difficult and slow

Esta recuperação vai levar tempo. A agulha está sempre a cair-me das mãos!
This repair will take time. The needle is always falling out of my hands!

recuperação - linha mais grossaEstas brides estavam condenadas. Tornavam o bordado muito grosseiro.
These bars were doomed. The embroidery becomes very rude.
repair linha finaSeguindo uma dica duma leitora resolvi usar um fio de linha Mouliné e fazer as brides em rolinho, como no original. O resultado foi péssimo, pois custa-me muito fazer o rolinho, embora concorde que ficaria melhor. Para além do mais estava com uma camisola de lã que largava pêlo – erro tremendo para uma bordadeira, claro que alguns pêlos de lã foram apanhados no rolinho – também estes condenados a ser desfeitos.
Following a tip from a reader I decided to use a strand of Mouline to make the overcasting bars, as in the original. The result was bad, because it’s difficult to  me at the moment making good work, although I agree it would look better. Furthermore I was with a woolen fur sweater – a tremendous mistake for an embroiderer; of course some hairs of wool were caught in the rolls – they also doomed to be undone.

Resolvi então começar a fazer as brides com cotton à broder nº 30 (fino) e fazer em ponto recorte que, apesar de tudo, é mais fácil fazer. Como sabem estas brides são feitas sem apanhar o tecido, mas o tecido está lá para manter o bordado esticado e só depois é que é cortado – esta é uma  grande dificuldade : manter as aberturas originais do trabalho. Não está nada perfeito, mas enfim!
 Then I decided to start doing the bars with cotton à broder # 30 (fine) done in buttonhole stitch, though, it is easier to do. As you know these bars are made without catching the fabric, but the fabric is there to keep the embroidery stretched and only when all the embroidery is done the cutting begin – this is a great difficulty: keeping the original work openings. There is not  perfect at all, but anyway it’s done.
ANTES / BEFORE
repair antesDEPOIS / AFTER
4 repair depoisTenho que arranjar (aliás já arranjei) outro tipo de bordado, mais pequeno e com linha mais grossa, doutro modo ficarei neura.
I have to get (actually already got) another type of embroidery, smaller and with a thicker thread, otherwise I’ll be unwell.

15 thoughts on “Difícil e lento / Difficult and slow

  1. Para mim ficou lindamente!
    Acredito que deve ser necessário ter uma grande dose de paciência.

  2. Na realidade, é isso mesmo, muita dose de paciência e gosto por ver o trabalho perfeito. Também ñ me parece que esteja mau. A linha nº 30 de bordar, é a ideal. Estou a contactar para dar uma ideia à Méri. Alguns bordados são feitos sobre uma base forte com o desenho passado nela. Alinhavando o tecido (toalha), em cartolina, conforme deseja que fique o bordado final, seria mais fácil bordar as brides. E assim também será mais fácil fazê-las em rolinho. A técnica não é própria para esse trabalho.
    É uma experiência nova, mas espero que resulte.

    • Obrigadissima pela ideia Fernanda! É isso afinal que fazem as bordadeiras dos Bordados de Terra do Bouro , da Lixa e Felgueira – Chamam-lhe ” o papelao” – bordar no papelão – fazem uma espécie de almofada com papelão e alinhavam a parte que estão a bordar no papelão! Como é que não me lembrei disso.
      Percebo a ideia da cartolina que é uma técnica usada muito em Itália para fazer o Punto Antico (acho que não estou a fizer asneira – e que é ” a renda de agulha” – LIndo! Obrigada pela dica!

  3. por alguma razão se utiliza a palavra remendo num sentido mais pessoal, isto é um remendo, não é o original mas está apto a funcionar novamente, a 100% só no original e às vezes nem assim.
    Claro que é preciso muita paciência, pano bem esticado, aliás não conhecia a técnica da cartolina mas sim cosido à volta a um pano forte e bastidor maior… mas se as mãos doem lá terá de voltar à aceitação de um remendo, aliás só a máquina fotográfica é tão minuciosa. Uma boa continuação de recuperação.

    • Obrigada Maria de Lurdes. O bastifor foi a minha primeira opção, mas quele parafuso está sempre a implicar com a linha e enerva-me – há uns de plástico que solucionam esse problema – mas o linho é já ão usada que tenho medo de o puxar muito e fazer um rasgão de desgrace tudo!
      Um abtaço – parece que vai ter bom tempo aí por Sintra!.

  4. Meri, há dias em que nada dá certo….e ai temos que n os render…ir tomar ar…fazer outra coisa…e voltar mais tarde…contudo, tenho certeza, que você levará essa empreitada a contento!!!

    • Obrigada pelo incentivo e confiança, Filomena! Realmente ando numa fase em que “tenho dias” , altos e baixos.

  5. Querida Méri, pra mim está tudo saindo lindamente!
    Não seria possível usar algum outro tecido por baixo, como estabilizador? Talvez facilite manter as distâncias das aberturas enquanto trabalha.
    Não desista! :)

    • Oi Samanta! Há quanto tempo!!!! Então desistiu mesmo do blogue? Que pena
      Obrigada pela dica, como já leu acima se calhar em vez do estabilizador usado por bordadeira poe ess mundo fora vou usar o estabelizador de papelão ” para não “viver acima das minhas possibilidades” – citando os nossos governantes – a culpa da nossa crise é nossa e não dos especuladores mundiais!!!!
      Um xi-coração do Porto!

  6. Acho que está a ser muito exigente consigo! Acho que está a ficar um trabalho excelente!
    As ideias anteriores de estabilizar o pano num bastidor com outro tecido por baixo são capazes de ajudar (a técnica da cartolina não conheço).

    • Obrigada Papgena. Também achei a dica ideal A máquina fotográfica é terrivel e mostra os pormenores todos das imperfeições, acho que ao longe fica melhor ;) realmente

  7. Ficou lindo e perfeito… só não percebi bem, isso do papelão.. adoro bordados e adoro descobrir coisas novas relacionadas com o assunto…
    Obrigada por partilhar os seus conhecimentos…
    Estarei atenta para mais novidades
    bjs
    Fernanda

Comments are closed.