Phew! Ufa!

Problemas com o computador! Afinal tudo se resolveu.

Como (ainda) não tenho nada para mostrar, deixo-vos com este postal  Leave a comment and buy handmade do Pano pra mangas, que a Margarida deixou há dois dias e que subscrevo
Problems with my computer. Anyway everything was resolved.

As I have nothing to show (yet), I leave you with this post Leave a comment and buy handmade  of Pano pra mangas, Margarida wrote two days ago and I subscribe.leave a comment

Advertisements

Incêndios

Parece que os incêndios acabaram e voltamos a ter internet. Por causa deles estivemos uns dias desligados. Se fosse só isso, seria até uma coisa boa, uma pausa. Infelizmente não foi.

Guardei um artigo, da autoria de Soromenho-Marques, publicado no Diário de Notícias. Publico-o agora, pois acho que vale a pena lê-lo e ficar a pensar…

por VIRIATO SOROMENHO-MARQUES 29 agosto 2013 Diário de Notícias

 No distante dia 27 de Abril de 1971 subia à tribuna da Assembleia Nacional um deputado de 44 anos, integrado na chamada Ala Liberal da Primavera marcelista, de seu nome José Correia da Cunha. Licenciado em Agronomia (1949) e Geografia (1963), colaborador de Orlando Ribeiro, Correia da Cunha não saberia que ao ler o seu discurso intitulado “O Ordenamento do Território, Base de uma Política de Desenvolvimento Económico e Social”, estava a inaugurar a política pública de ambiente, tentando transformar Portugal num país mais civilizado. Recordo Correia da Cunha, felizmente ainda entre nós, como homenagem aos corajosos bombeiros caídos na luta contra os incêndios que atingem o país. Como visionário e homem de ação, Correia da Cunha sabia que Portugal iria ficar desequilibrado demograficamente nas décadas seguintes. Milhões de portugueses sairiam das zonas rurais em direção ao litoral. Era de interesse nacional ordenar o território, proteger a paisagem, a capacidade produtiva dos solos, preservar o capital natural para as gerações futuras. Nada disso aconteceu. Os interesses particulares prevaleceram sobre o interesse geral. Os incêndios que devastaram 426 000 e 256 000 hectares, respetivamente, em 2003 e 2005, fazendo de Portugal o campeão europeu de áreas ardidas, são o sinal de um país doente. Um país que ao fugir das chamas foge de si próprio. Uma das causas principais reside no desordenamento florestal. As reportagens televisivas mostram-nos, sistematicamente, bombeiros e populações cercados por eucaliptos em chamas. Chegado a Portugal em 1829, esta espécie exótica ocupa agora 26% do espaço florestal, e é o grande combustível dos incêndios florestais. Quando vejo ministros, com ar pesaroso, lamentarem a morte dos bombeiros, apetece-me perguntar-lhes:Onde estavam os senhores no dia 19 de Julho de 2013?”. Nesse dia foi aprovado, em Conselho de Ministros, o ignóbil Decreto-Lei n.º96/2013, que, debaixo da habitual linguagem tabeliónica usada para disfarce, estimula ainda mais a expansão caótica da plantação de eucaliptos, aumentando o risco de incêndio, e fazendo dos bombeiros vítimas duma política de terra queimada ao serviço dos poderosos.

(sublinhados meus)

Coisas curiosas / Curious things (cont. 5 III)

Para terminar esta série de experiências à volta do ponto pé de flor suspenso – assim chamado e usado no Bordado das Caldas da Rainha – (“imbotitto” em italiano) tentei executá-lo, embora não tenha nenhuma explicação nem foto. Quando estive com a Liseta Pereira vi um bordado dela com este ponto, mas não fotografei.
To end this series of experiments around raised stem stitch – so named and used in embroidery of Caldas da Rainha – I tried to do it, although I have no explanation or photo to see how to.When I was with Liseta Pereira saw this stitch in one of her embroideries, but no photo…capelista das termas - Liseta Pereira(esta foto é do facebook da Liseta – cliquem nela para verem mais fotos na sua página)
(this picture is from Liseta facebook – click on it to see more in her page)
Parece-me que a base da coroa do terceiro saco a contar da esquerda pode ser em ponto pé de flor suspenso, mas não tenho a certeza.
I guess the crown base on third bag from the left can be raised stem stitch, but I’m not sure.

Ponto pé de flor suspenso - Caldas da Rainha 1Ponto pé de flor suspenso - Caldas da Rainha 2Contornei uma forma com ponto pé de flor e passei os fios verticais no ponto pé de flor, com linha simples, não dupla como no Le Ruote do Punto Umbro. Não sei se é exatamente assim que se faz nas Caldas da Rainha. Será Liseta? Penso que sim.
 I went around the design with stem stitch where I’ve supported the grid with single thread, not double as in Le Ruote in Punto Umbro. I’m not sure  if it is done that way in Caldas da Rainha. Is it Liseta? I think it is.

Ao fazer este pequeno motivo, lembrei-me de fazer de outra maneira:
Making this small motif, I remembered to try  another way:
Ponto pé de flor suspenso - Caldas da Rainha 3Ponto pé de flor suspenso Caldas da Rainha 4Ponto pé de flor suspenso - Caldas da Rainha 5Ponto pé de flor suspenso - Caldas da Rainha 6Ponto pé de flor suspenso - Caldas da Rainha 7
Quer num caso, quer no outro fiz sempre o ponto pé de flor suspenso da esquerda para a direita, passando a linha por baixo das linhas verticais.
In both ways I’ve always done raised stem stitch from left to right, passing needle and thread under the vertical lines.
Ponto pé de flor suspenso - Caldas da Rainha 8Como as primeiras carreiras do ponto me parecem muito largas, intercalei mais linhas verticais, para tornar o ponto pé de flor suspenso mais pequeno.

As the first rows of raised stem stitch seem too large, I’ve done more vertical lines,so the stitch look better.
Ponto pé de flor suspenso Caldas da Rainha 9Não está perfeito. Parece-me que a primeira forma é a correta no Bordado das Caldas e fica melhor. Tem que se ter atenção às extremidades para  ficarem perfeitas, não puxando demasiado o fio.
It’s not perfect. I think the first way is the right way  in Caldas da Rainha Embroidery and looks better. We have to pay attention to the ends making them perfect, not pulling the thread too much.

Concluindo: Concluding:

A grande diferença entre a maneira como fiz o ponto pé de flor suspenso, e a Mary Corbet terá também feito, está no avesso quer no Bordado das Caldas da Rainha, quer no italiano Punto Umbro o Sorbello o Portoghese.
The biggest difference between the way I made Raised stem stitch, and Mary Corbet have also done, is on the back of embroidery either in the Portuguese Bordado das Caldas da Rainha or in the Italian Punto Umbro o Sorbello o Portoghese.
Caldas da Rainha e Le Ruote avesso 10E é tudo acerca deste tema, a não ser que queiram acrescentar algo. Sintam-se à vontade para comentar! Estes postais levaram demasiado tempo a escrever. Desculpem se ficou confuso.
And it’s all on this subject, unless you want to add something. Feel free to comment! These posts took too long to write. Sorry if it was confusing.

O mês de Agosto acabou e foi negro e triste até ao fim – o nosso país a arder e nós a perder amigos queridos.
The month of August went on sad till the last day – our country on fire and we loosing beloved friends.