Guimarães 2012 (3)

Uma espécie de slideshow de cada passo da execução destes alfinetes.
A kind of step by step slideshow.

1 – depois de bordar, colocar outro pedaço de linho, por trás, e contornar em ponto adiante, duas vezes, a forma do alfinete, com linha de coser à máquina, deixando uma abertura.
1 – after the embroidery done, put another piece of line behind and outline with running stitch the shape twice using sewing machine thread and leaving an opening.

2 – aspeto do avesso. 2 – a back view.

3 – recortar o formato do alfinete (este formato não é fácil…) usando aquelas embalagens de plástico em que vêm facas, tesouras, chupetas e tanta coisa mais: a seta pequena mostra o recorte já feito (deve ser mais pequeno para permitir a entrada da agulha, posteriormente) e a seta grande mostra a ponta da embalagem.
3 – cut the shape of the pin (this shape is not easy…) using those plastic packages around knives, scissors, pacifiers and so many things: the smaller arrow shows the cut shape done (must be smaller to allow doing the stitches later) and the big arrow  shows a corner of the package.
4 – experimentar se entra pelo espaço que deixamos e se fica dentro das linhas paralelas (estas linhas em ponto adiante vão ficar cobertas e têm que apanhar os dois pedaços de linho); se tudo está bem mantêm-se o plástico dentro, continuando a fazer as linhas paralelas até deixar uma abertura mais pequena.
4 – test if the shape suits in the opening left and if it  fits into, inside (?) the paralel lines (these lines will be covered and the stitches have to gather the two layers of linen); if everything is well go on stitching the two paralel lines keeping the plastic inside and this time we’ll keep a smaller opening.

5 – aspeto do avesso e já com o fecho cosido (depois é mais difícil).
5 – a back view with the lock (?) already apllied (later is difficult).

6 – com linha coton à border nº 25, começar a fazer ponto recorte, tendo como referência as duas linhas paralelas e sem esquecer que por trás há já um fecho metálico…
6 – with coton à border nº 25 begin doing buttonhole (blanket) stitch referring to the parallel lines and not forgetting there is a metalic lock behind…
7 – perto da pequena abertura encher o alfinete, por cima do plástico.
7 – near the little opening fill the pin, over the plastic.
8 – a parte bordada é a que estou a segurar, consegue-se ver?
8 – my hand is with the embroidered layer, can you see?
9 – a seta está a indicar a parte mais difícil de fazer o ponto recorte; tem de ser feito como se faz quando estamos com bastidor: p’ra baixo, p’ra cima, p’ra baixo, p’ra cima.
9 – the arrow is showing you the most difficult point to do buttonhole stitch; you must do it as if you were with a hoop: down, up, down, up.
10 – corta-se o excesso de pano que fica à volta.
10 – cut surplus linen around.
11 – com uma tesoura muito fina e boa, cujas pontas cortem bem, começar a cortar nesta posição – o ponto recorte fica com uma serrilha que não pode ser cortada! Se necessário usem lupa, doutro modo lá vai o trabalho todo. Quem já fez Richelieu ou bordado da Madeira sabe fazer isto. Para mim estes alfinetes foram a primeira vez :-|
11 – with thin and very good scissors begin cutting that way – buttonhole makes knurls which can’t be cut! If need use a magnyfier. Those of you who have already made Richelieu embroidery or Madeira embroidery (all Cutwork) know how to. To me those pins were my first time :-|

Et voilá!

(nota: gostava de saber porque nalgumas imagens o branco do linho fica azulado – sem flash, noutras não…ainda não sei funcionar bem com a nova máquina!)
(note: would like to know why some pictures turn the white in blue – without flash, others not…still don’t know how to deal with the new camera!)

Drawn threads / Bainhas abertas (1)

Começa hoje a série de artigos sobre bainhas abertas. Procurarei publicar, todas as segundas feiras, na sequência como eu faço. Vamos, então a isto!
Today is the first post about drawn threads. I’ll hope can publish each Monday, by the order I do. Then, let’s go!

Escolher o linho
Para fazer bainha aberta deve escolher-se um bom linho, cujos fios sejam fáceis de tirar.
A urdidura/trama do linho deve ser igual (número de fios), quer na vertical (urdidura) quer na horizontal (trama). Porquê? Se assim não for, uma bainha aberta à volta de qualquer pano, fica diferente, em tamanho, no lado da urdidura e da trama.
Choosing the linen
To drawn threads a good linen should be chosen, so threads are easy to draw. The linen must be a weaven linen, (number of threads equal both in the vertical – warp – and horizontal – weft). Why? If not, the openwork around any cloth, would be different in size, on the vertical side and horizontal side.

Como saber?     How to know?

(±10 fios/cm   ±24 count linen/inch)

±16 fios/cm, também referido como 20L(em Itália também)    ±38 count linen/inch

(±26 fios/cm    ±65 count linen/inch)

marcar, com alfinetes, 1cm na vertical e outro na hotizontal e contar os fios;
se o nº de fios é igual este é o linho que nos interessa! Estes são os linhos que tenho em casa –  vou usar o de 16 fios/cm para toda a serie de bainhas abertas, passo a passo.
Quanto mais fino, mais difícil de trabalhar.
mark with pins 1cm (or 1 inch) both directions vertical (warp) and horizontal (weft) and count the threads; if the number of the threads is the same both directions that’s good, it is a weaven linen! These are the linens I have at hand – I’m going to use the 38 count linen/inch to all drawn threads step by step series.
The thiner, the harder for working.

Preparar o linho Preparing the linen

É fundamental podermos, no pedaço de linho em que vamos fazer a bainha aberta, tirar um fio completo, de lés a lés, em todos os 4 lados. O linho nem sempre vem com o chamado fio tirado.
It’s fundamental that we can draw one complete thread over the 4 sides of the piece of linen where we are going to do the drawn threads. Sometimes linen doesn’t come with what we call by pulled thread (don’t know how to say in English, hope you can guess).

Como podem ver este linho estava um pouco torto. Agora, com muito cuidado e uma boa tesoura tem que se curtar aquela franja toda.
As you can see this linen was a bit askew. Now very carefully and good scissors we have to cut all that fringe.

Recomendo que o façam em cima de alguma coisa que apanhe facilmente aquela confusão. E temos o linho preparado para começar. O tamanho da peça fica ao vosso critério e o tipo e cor do linho também. Qualquer um que tenham em casa – o muito fino é mais dificil de se tirarem os fios. Mas temos que contar com 5cm, a toda volta, para ficar uma bainha cerca de 2cm.
I suggest cutting the fringe on someting you can easily clean. Then we have the linen ready to begin. You can choose the size and the colour of the linen you may already have at home. But we have to count with 5cm all around to end with a hem about 2cm.

As linhas The threads
Estas são as linhas que uso para fazer o ponto ajour, linhas para a máquina de costura. Gosto muito desta marca, que até tem uma roda que prende a ponta da linha, mantendo tudo em ordem. Como podem ver os linhos podem ter vários tons, e até podem ser cloridos. Deve arranjar-se uma linha a condizer. E também é preciso linha para alinhavar.
Pode-se usar, também, coton à border nº 25 ou mais fino, mas fica mais caro. Por agora vamos usar estas linhas mais acessíveis.
These are the threads I use to do the ajour stitch, threads for sewing machine. I specially like this Gütermann threads which still have a wheel to take the end of the thread looking clean. The linen has many shades even colourful. We must have a matching thread. Basting thread is needed as well.
You can use coton à border nº 25 or even thiner too but is too expensive. By now we’ll use these ones.

E a parte aborrecida acabou. Por favor ponham dúvidas e/ou corrijam, dizendo como fazem.
A seguir vamos tirar os fios a toda a volta. Até para a semana!

And the boring part is over. Please write about any doubt you have and/or correct me saying how do you do (and correcting my English pleeeeease!)
Next we’ll draw threads around the 4 sides of the linen. See you next week!

Nota prévia à “série bainhas abertas” / Previous note to “drawn threads series”

Já diversas vezes afirmei que sou amadora, com estas linhas e agulhas.
Com esta série pretendo partilhar o que sei, como eu faço e aprender convosco. Espero, portanto, muita participação. Sei que há sempre várias maneiras de fazer a mesma coisa – aqui vou referir como, a mim, me dá mais jeito. Mas também gostava de aprender alternativas. Por isso participem e corrijam-me, por favor!
Os dois primeiros artigos são dirigidos a principiantes, pois lembro-me bem as asneiras que fiz, quando comecei… por não ter tido em conta certos pormenores.
Até breve.

I’ve stated several times that I am an amateur, with these needles and threads. With this series I intend to share what I know, as I do and learn from you. So I hope much participation. I know there are always several ways to do the same thing – here I only can refer to my way. But I would enjoy learning alternatives too. Please participate in and correct me both the techniques and my English as well! (I’m afraid about the technical terms)
The first two articles are aimed at beginners, because I well remember the bad things I did when I started … not taking account of certain details.
See you soon.

drawn thread / bainhas abertas

As palavras de busca (para além do ponto grilhão) que mais visitas me trazem estão ligadas à bainha aberta, especialmente em português:
bainha(s) aberta(s), bainha aberta simples, bainha aberta passo a passo, ponto ajour para bainha aberta, como fazer bainha aberta, como fazer cantos para bainha aberta e por aí fora.
The searching words which bring more visits to this blog are connected to drawn threads (mostly in Portuguese):
drawn thread, single drawn thread, drawn thread step by step, ajour stitch, how to do drawn thread, drawn thread – how to do corners and so on.

Para não chegarem aqui em vão vou abalançar-me a partilhar o que sei. Devagarinho – talvez uma entrada por semana, para as principiantes me poderem acompanhar. Uma espécie de um stitching along, é assim que se diz?
Concordam?
In order that you don’t be disappointed I’ll dare sharing with you what I know of. Slowly – maybe once a week post, just allowing beginners may follow me. A kind of stitching along, is it right??
Do you agree English readers? To me it’s easier writing only in Portuguese… ;)

Guimarães 2012

Guimarães Capital Europeia da Cultura 2012
Guimarães European Capital of Culture 2012

Inspirada no coração/logotipo da Capital Europeia da Cultura, a professora Maria do Céu Freitas desenhou uns corações para fazer alfinetes de peito. Inspirada por ela,  também adaptei as minhas experiências a alfinetes (além de fazer um dos seus desenhos). São para oferecer, mas, desta vez, um dos três alfinetes fica para mim…
Inspired by the heart/logo of the European Capital of Culture 2012 Guimarães, teacher Maria do Céu Freitas designed some hearts for pins. Inspired by her I adapted my experiments for pins too (i’ve made one of her designs as well). They are gifts but, this time, I’ll keep one of the three for me… ;)

 

fazer, desfazer e refazer / do, undo and redo

Não sei se todos os leitores deste blogue se aperceberam que mudei o meu email. Foi mais complicado que mudar o blogue! E não sei se ainda falta mudar mais alguma coisa. Espero não ter perdido endereços, mas perdi todos os artigos favoritos do google reader… talvez ainda os recupere.
I’m not sure all my readers noticed I’ve changed my email address. It was harder than changing my blog! And don’t know yet if I lost any address, but lost the favourite posts from google reader… may be I still can regain them.

Na semana passada mudei de lentes e, vendo melhor, estou a ficar mestra no desfazer e refazer…
Last week I’ve changed my lens and, seeing better, I’m turning a master of undoing and redoing…

encontrando algumas pequenas imperfeições… and finding some small imperfections…

e quando tinha tudo isto bordado, verifico que bordei tudo no lado contrário!
and when I have all this embroidered I noticed it was embroidered on wrong side!
Todo o ponto ajour foi já desfeito, faltando só desfazer os cantos e voltar a refazer toda a bainha…
All the ajour stitches is already undone only missing the corners and redoing the all the hem again…

Até agora, e apesar de tudo, estou satisfeita com o resultado, e, especialmente, com o avesso.
After all I’m glad with the result so far and particularly with the back side.
Bom fim de semana!
Have a great weekend!

a experimentar 2 / testing 2

(lembrem-se que isto está muito maior – vêem-se todos os defeitos :( )
(remember this is a close-up – we can see every imperfection!)

Aqui estão as experiências que fiz do desenho que mostrei nesta entrada. Mas ainda me não decidi. E a toalha de chá vai andando, mais devagar do que previa…
Here you have my experiments with the pattern I’ve shown here. But Ihaven’t decided yet. And the teacloth is going on, slower than I thought…

Viana do Castelo

Há uns tempos mostrei-vos um slideshow, com imagens de um fim de semana passado em Viana do Castelo, onde se vê trajes tradicionais do Minho, região onde fica a cidade de Viana. Viana tem também bordados lindíssimos, se bem que os modelos mais antigos sejam mais difícil de encontrar

A while ago I’ve posted a slideshow with pictures I got during a weekend at Viana do Castelo, there you can see traditional costumes of Minho, the region where is the town Viana. Viana has beautiful embroideies as well, albeit nowadays we hardly find the older elaborated patterns.

Mas hoje o que vos quero mostrar, com a devida autorização, é este video da Dinorah sobre o Ouro de Viana. As peças de ouro inspiram o bordado, e o bordado inspira as jóias.

But today I want to show you all , with permission, this Dinorah’s video about the Gold of Viana. The jewellery inspires the embroidery, and embroidery inspires the jewellery

É lindo, não é? Is beautiful, isn’t it?
Tenham uma boa semana.
Have a great week.