no campo… at the country…

Passei dez dias no campo, onde a net é muuuuito lenta. Por isso, não consegui publicar a VI entrada sobre o Bordado de Castelo Branco :( nem bordei nada a sério, só ensinei uns pontos a duas sobrinhas netas que quiseram muito aprender a bordar em pouco tempo! :)

I was off  for ten days at the country where the net is toooooo slow. Though I wasn’t able to publish the Castelo Branco Embroidery VI :( . I embroidered nothing seriously
only teach some stitches to two grand nieces who wanted to learn embroidery in a short time! :)

This slideshow requires JavaScript.

Depois de amanhã vou para Lisboa esperar pela neta mais nova que vai estar por cá dez dias – tão cedo não volto aqui… e tenho tanta coisa para ler e responder. Até breve!
Next Thursday I’ll leave to Lisbon to stay with my youngest grand daughter and her parents for ten days. I have lots of posts to read and e-mails to answer… but I’ll be back only at the end of August or even September. See you soon!

Advertisements

Bordado Castelo Branco (V)

Depois de visitar as retrosarias, fomos ao Turismo e lá comprei este livro, que já conhecia, de Margarida Ivo Rosa, editado pela Caleidoscópio. A autora é Mestre de Museologia pela Faculdade de Évora e este livro é a sua tese de mestrado, em 2005. Ainda não li, logo que o fizer falarei sobre ele. Tem fotografias muito boas – isso já vi!

After visiting the haberdasheries, we went to the Tourism house and bought this book, I already knew, by Margarida Ivo Rosa, edited by Caleidoscópio. The author is Master of Museology at the Évora University and this book is her master’s thesis in 2005. I have not read it yet, once I do I’ll talk about it. It has fabulous pictures – that I’ve already seen!

Depois do almoço voltei ao Museu, para visitar a biblioteca e visitar com atenção a sua loja. Começo pela loja.
After lunch I returned to the Museum, to visit its library and visit the museum-shop. I begin with the shop.
É nesta loja que está este maravilhoso livro cheio de págins bordadas.
At this shop you can see this wonderfull book with many, many embroidered pages. 

Todos os prospetos e catálogos do museu têm imagens das Colchas de Castelo Branco. O Bordado de Castelo Branco é, sem dúvida, o ex-libris da cidade.
All brochures and catalogs in the museum are pictures of Coverlets from Castelo Branco. Embroidery of Castelo Branco is undoubtedly the ex-libris of the town.

Na loja comprei postais (alguns estavam esgotados).
At the shop I bought postcards (some were unavailable).

Nenhum com a Árvore da Vida. None with the Tree of Life.

Gosto deste, mesmo sem Colchas. I like this even without Colchas.

Na loja comprei várias peças pequenas. Não havia pássaros – se calhar as mais procuradas. Havia uns painéis maiores com a Árvore da Vida, bastante mais caros, mas hoje estou arrependida de não ter comprado, como devem calcular…
At the shop I bought several small pieces. There were no birds – perhaps the most sought after. There were largest panels with the Tree of Life, much more expensive, but now I regret not having bought, as you can imagine…

Todas as peças têm um “selo” de pano, com um carimbo que tem o selo da República Portuguesa Ministério da Cultura (extinto pelo governo – em tempos de crise é sempre pela Cultura que se começa a cortar…) Instituto dos Museus e Conservação e Museu de Francisco Tavares Proença Junior, e  numerado, datado e com o nome da bordadora escritos à mão.
Each piece has a cloth-label with a stamp with the signet of the Portuguese  Republic Ministry of Culture (now extinct by the government – at crisis times Culture is always the first to suffer…) Institute of Museums and Conservation and Museum Francisco Tavares Proença Junior, and written by hand the number, date and name of the embroiderer.

É uma certificação de que o bordado está feito segundo o Caderno de Especificações técnicas do Bordado de Castelo Branco, já existente, embora o Bordado não esteja ainda certficado.
This is a certification that the embroidery is made according to the Notebook of Specifications already written though the Castelo Branco Embroidery is not yet certified.

Na biblioteca fui recebida por uma simpática senhora que mostrou tantos trabalhos escritos e alguns livros sobre o bordado de Castelo Branco, que me senti perdida. Os trabalhos escritos eram fotocópias de estudos feitos ao longo do séc. XX. Alguns com qualidade, outros mais ou menos. Mas os meus olhos foram atraídos por três deles.
At the library I was received by a nice lady who showed me so many written works and some books about Castelo Branco Embroidery that I felt lost! The written works are photocopies from studies made during 20th century. A few with quality and others more or less. But my eyes were caught by three of them.

O Caderno de Especificações Técnicas que inclui um pouco de história, motivos e seus significados e uma galeria de pontos, entre outras coisas.
The Notebook of Specifications, which includes a little bit of the history, motifs and its meanigs and a stitch gallery, among others.

Um belíssimo livro sobre as Colchas de Castelo Branco, em português e inglês – não está à venda :(. Um livro com 420 páginas, com a colaboração de nove investigadores de diferentes áreas. Foi-me explicado, como aliás a directora do museu se refere no último vídeo da entrada anterior, que estas duas publicações resultam de um trabalho enorme feito em parceria ente a Associação para o Desenvolvimento da Raia Centro-Sul (ADRACES), o Museu, Câmara Municipal e Instituto Politécnico de Castelo Branco, entre 2005 e 2007, com vista à certificação do bordado. Faltam, ao que parece, alguns procedimentos burocráticos…

A faboulous book about Castelo Branco Coverlets, in English and Portuguese – it’s not available :(. A book with 420 pages with nine contributours, all investigators in different matters. Then I was told, as the museum directress explains in the last video of the former post, these two publications are the result of hard work made by a parnership with  ADRACES ( an association for development of the region), the Museum, Common Hall and Polytechnic Institut of Castelo Branco, between 2005 and 2007, to certify the embroidery. It’s missing only some burocratic proceedings…

E o último é um pequeno catálogo de colchas e vestidos de uma passagem de modelos, que o primeiro vídeo da entrada anterior também mostra. Toda a roupa para esta passagem de modelos foi bordada pelas bordadeiras do Museu.
The last is a small catalog of coverlets and dresses for a fashion show, at the previous entry the first video shows some cloths . All the clothes for this fashion show were embroidered by the embroiderers of the Museum.

Muito, muito obrigada a todos quantos me receberam no Museu – nas sala-oficina, na biblioteca e na loja. Foram todos de inexcedível simpatia e disponibilidade! Fizeram com que eu ficasse com uma enorme vontade de voltar.
Thanks so much to all that received me in the Museum – at the workshop room, at the library, at the shop. You all were so kind and available! I’m so greatful I want to come back to Castelo Branco!

Na manhã seguinte regressaríamos a casa. Mas… (continua)
Next morning we would come home. But… (to be continued)

Bordado Castelo Branco (IV)

File:Bordado cb.jpg
Fonte: http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Bordado_cb.jpg?uselang=pt

Alguns vídeos sobre o Bordado de Castelo Branco
Some videos about Castelo Branco Embroidery (in Portuguese, sorry, but with beautiful embroideries)

This one is about a software which will let drawing patterns and transfering to fabric (I don’t know yet if it is already available):

This video shows some embroiderers working on a TV show. We can see my dear Maria de Jesus (in blue) being  interviewed and two other embroiderers – the end pretends to be a comic:

This is the last and a very interesting video. You can see some Colchas explained by the directress of the museum when there were four embroiderers  (now they are only three) though the museum can’t offer big pieces for sale at the museum shop, only little pieces (i bought some of them – I’ll show soon ;) ) Still you can see a very old colcha being restored  and some wonderful details near the end of the video – you have to click the link, sorry:

http://videos.sapo.pt/ofmRzG1LApBg5W7FPWPg

(continua) (to be continued)

 

Bordado Castelo Branco (III)

São 49 as cores usadas no Bordado de Castelo Branco.
Castelo Branco Embroidery uses 49 colours.

Na entrada anterior mostrei a seda natural que comprei em Castelo Branco e que iria fotografá-las junto das “sedas vegetais”, que pensava serem de Castelo Branco. A confusão está explicada no texto que acima fotografei e penso que se lê bem.

Here I showed the silks I bought at Castelo Branco and wrote I’ll take photos with “vegetal silks” I thought were from Castelo Branco. I’ve already written to Mary, Hannah and Deepa to whom I sent those “vegetal silks” as being from CB – my apologies!
My confusion is explained in the text above which I’ll try to translate:
“Sometimes appear works done with “vegetal silks” (rayon) which is an incorrect way to refer to the viscose chemical fiber widely used in the embroidery of Castelo Branco in the decade of the 50’s in 20th century, because they were (and are) considerably cheaper.
Here we do an alert to the fact that silk is an easily counterfeited fiber what can remove quality to the Embroidery considering that the good quality of materials is the most added value of a piece, along with its aesthetic and patrimonial dimension. We can distinguish viscose and silk , viscose is brighter, thicker and in the burning test has plastic smell.”
Hope you understand :-|

Penso que se vê bem as diferenças.
I think you can see well the differences.

Nesta imagem podem ver-se 6 variantes do Ponto Castelo Branco, também conhecido por ponto frouxo e ponto oriental.
This picture shows 6 different ways of doing Castelo Branco Stitch – Laid-Work?

Não sei se já estão cansadas do tema, mas esta é a forma de não me esquecer do que vi e ouvi. Não tenho bordado nada, tenho andado a ler e a escrever no blogue…
Tenho mais para registar, por isso o tema Castelo Branco vai continuar ;)
I don’t know if you are tired about the theme but this is the way I have not to forget what I saw and heard. I’m not embroidering only reading and writting these posts…
I have more to write so the theme Castelo Branco will continue ;)
Detail from a Castelo Branco Colcha 18th/19th century

Bordado Castelo Branco (II)

Na manhã seguinte, debaixo de muito muito calor, fui à procura de duas retrosarias  que a Ana Folhas me tinha indicado, inclusivamente fornecendo as direções:
Retrosaria Três Globos – Largo do Saibreiro, 2 e a
Retrosaria Flor de Outono – Rua 5 de Outubro, 68 (de João de Campos Geraldes)Infelizmente não tenho fotografias das retrosarias – ontem verifiquei que perdi várias fotos, vá-se lá saber porquê! Mas vou mostrar o que comprei em cada uma.

Next morning, under a very very hot sun, I was looking for two haberdasheries that Ana Folhas had given me, including providing directions:
Haberdashery Three Globes – Largo do Saibreiro, 2 and 
Haberdashery Autumn Flower – Rua 5 de October, 68 (owner João Campos Geraldes)
Unfortunately I have no photographs of haberdasheries – yesterday I realized that I missed several shots, can’t understand why! But I’ll show you what I bought at each one.

A retrosaria Três Globos é uma loja grande com uma oferta que eu raramente vejo aqui no Porto.
É claro que eu estava especialmente interessada na oferta de produtos relacionados com o bordado de Castelo Branco. A senhora que me atendeu era uma simpatia e mostrou-me logo as sedas usadas no bordado – tantas, tantas e com cores tão bonitas!!! Viu-me de tal forma confusa que me ajudou a escolher umas que dessem para fazer pequenos motivos.
The Três Globos haberdashery is a large store with an offer that I rarely see here in Porto.
Of course I was especially interested in products related to the embroidery of Castelo Branco. The lady I met was so friendly and showed me the right silks used in embroidery – many, many colors and soooo beautiful! She saw me so confused that helped me choosing which ones to make small motifs.

Além disso mostrou-me o tecido em que, hoje em dia, é feito o bordado de Castelo Branco, que tem só 50% de linho. É um tecido pesado que tem alguma semelhança com o antigo linho caseiro.
Also showed me the fabric used for the embroidery of Castelo Branco nowadays, who has only 50% linen. This is a heavy fabric that has some similarity with the old homemade linen.

Comprei algumas sedas e tecido para um dia experimentar…
Hoje em dia a seda usada nos bordados é italiana. É uma seda ligeiramente torcida.
I bought some silks and fabric for trying one day…
Nowadays the silk used in Castelo Branco embroidery is Italian. It is a lightly twisted silk.

Vou fotografar estas sedas com as sedas vegetais que, como escrevi na entrada anterior, mostrei aqui e aqui como sendo as sedas de Castelo Branco, o que não é verdade e explicarei o porquê da confusão.
I’ll make some photos with these silks and vegetal silks which I showed here and here as being silks of Castelo Branco,this is not true and I’ll try to explain the confusion.

Na Retrosaria Flor de Outono conheci a D. Emília Geraldes que aprendeu muita coisa sobre o Bordado de Castelo Branco há anos, com uma senhora já com muita idade. Falou-me muito sobre o bordado e como se formam os desenhos. A D. Emília tem desenhos próprios. Não ensina porque não tem tempo. Na loja quando lhe pedem ajuda, vai aconselhando.
E foi aqui o único sítio em que encontrei um bastidor de colo ou mesa – não resisti e comprei! Não faço ideia se lhe vou dar uso, mas quero acreditar que sim.
In Flor de Outono Haberdashery I met Mrs. Emilia Geraldes who has learned much about Castelo Branco Embroidery  years ago, with a very old lady. She told me a lot about embroidery and how she draw the designs. Mrs. Emilia do their own designs. She doesn’t teach because have no time. In the store when asked for help she does some advice.
And it was here the only place I found in a lap or table frame – and I could not resist and bought it! No idea if I’ll use it, but I believe so. :-)

O bastidor tem dois tamanhos. Ficou ainda encomendado um suporte para bastidores redondos, que não encontro em lado nenhum. A D. Emília Geraldes vai enviá-lo à cobrança – quando chegar, mostro. Tem também sedas italianas, que envia para todo o lado à cobrança. Tem muitas clientes que lhe mandam pedaços de sedas (quando não sabem os nº da cor) e ela envia.
The frame has two sizes. I also ordered a hoop support , I can’t find anywhere. Mrs. Emilia will send it by post office levy (charging?? I’m not sure how to say in English) – I’ll show it soon I hope. She also has Italian silks, which sends all the time the same way. She has many customers who send her little bits of silks (if they don’t know the number of the color) and she sends by mail.

Conversamos durante um bom bocado e eu disse-lhe que era uma pena ela não ensinar tantos pequenos truques que demonstrou saber.
Explicou que, de um modo geral, para a escolha dos diferentes tons das cores, se coloca o motivo voltado para nós e começa-se, de cima para baixo, do mais escuro para o mais claro; as penas dos pássaros devem ter uma tonalidade mais escura, mesmo que ligeira, junto do corpo do pássaro.
We talked for a while and I told her it was a pity she didn’t teach so many little tricks she showed to know.
She explained that, in general, for the choice of different shades of colors, you must put the motif in front of you and start from the top to down, the darker to the lighter; the feathers of birds must have a darker shade, even slight, just close to the bird’s body.

Disse-me, ainda, que se usa o papel químico para passar o risco – é um costume muito nosso, por esse Portugal fora, talvez porque bastante económico. Mas fiquei surpreendida que aqui se utilizasse o químico, por causa das sedas. Foi quando a D. Emília me explicou o que fazia: passa o risco com o químico, azul ou preto, e deixa o pano meia hora ao sol (o sol de Castelo Branco é bem forte!) para “comer” o excesso de cor do químico. Depois do bordado feito, se ficar alguma mancha que não ficou coberta, tira-se a mancha com miolo de pão! (não faço ideia se as bordadoras do museu utilizam o químico).

Muito obrigada D. Emília e espero continuar a conversa na próxima ida a Castelo Branco.
She still told me that she use carbon paper to transfer the motifs – it is our own custom all over Portugal, perhaps because very affordable. But I was surprised that here carbon paper is used because the silks. That’s when Mrs. Emily told me what she does: she transfers the motifs with blue or black carbon paper and let the cloth under the sun (the sun of Castelo Branco is hard!) for half an hour. Sun “eats” the excess of the color. After the embroidery is done, if there is any stain that is not covered, we take the stain with a crumb! (I have no idea if the museum embroiderers use carbon paper).

Thank you Mrs. Emilia and I hope to continue our talk next trip to Castelo Branco.

 (continua) (to be continued)