Flor / Flower

Depois de uma semana passada na Póvoa a ouvir tanta coisa boa nas Correntes D’ Escritas, depois de um concerto* na Casa da Música, que ultrapassou todas as expectativas, com a Orquestra Nacional do Porto e a Orquestra de Jazz de Matosinhos, quero mostrar uma flor que fiz, usando uma fita de seda japonese pela primeira vez. Uma pequena lembrança para uma amiga brasileira que passou esta semana connosco.
*Dirk Brossé  e Carlos Azevedo (além de compositor tem paixão pela fotografia) – nomes a não esquecer

After a week at Póvoa de Varzim listening to so many nice people at Correntes D’ Escritas (a meeting between writers, publishers and readers) , after a concert* at Casa da Música with Orquestra Nacional do Porto e a Orquestra de Jazz de Matosinhos where all our expectations were exceeded, I want to show you a flower I made using the Japonese silk ribbon for the first time. A little gift for a Brazilien friend who was with us all this week.
*Dirk Brossé and Carlos Azevedo (musician and photography lover) – names not to forget

Bainha aberta – Gradinha / Drawn thread – Overcast(ing) bar

Outra forma de bordar a bainha aberta é fazer uma gradinha. Comecei por fazer esta gradinha em escada (pode ser feita em zig-zag) e numa bainha aberta estreita e sem fazer qualquer ponto ajour para delimitar a barra (passo a passo em fotografia).

Another way to embroider drawn threads is doing overcasting. I began doing this overcast isolated bars* ( it can be done as a overcast bars in a zig-zag line*) in a narrow bar of drawn threads and without hem stitching the edges (step by step photos).
*i’ve used the names in Th.Dillmond book “Drawn Thread Work” (pdf)

a linha de bordar sai no espaço entre os fios tirados – isto é importante para não torcer a grade
the embroidery thread comes up between the fabric threads – this is important not to distort the grid 


os fios vão-se enrolando com a linha de bordar,
the fabric threads are whipped  with embroidery thread,

no outro lado, não se pode saltar para para outro grupo de fios sem meter a linha de bordar entre o feixe anterior e os fios do tecido
on the other side the embroidery thread has to come up again between the former bunch and the fabric thread


e assim até ao fim da barra
and so till the bar end

et voilá!

PS: este post está a ser publicado enquanto estou na Póvoa de Varzim nas Correntes d’Escritas.
PS: this post is being published while I am at Póvoa de Varim following Correntes d’Escritas.

Bainha aberta – ponto nó simples / Drawn threads – coral knot

Há várias formas de bordar a bainha aberta, fazendo-a parecer uma renda. O princípio é juntar fios.
O nó simples é o ponto básico para bordar bainha aberta, penso eu. Passo a passo em fotografias:

There are many ways to embellish drawn thread and so give it a looking like lace. The purpose is to join threads together.
Coral knot is the basic stitch to drawn thread embroidery, I think. Step by step photos:

depois de se se fazer o ponto ajour dos dois lados da bainha aberta, a linha passa por baixo do ponto a cheio que limita a barra de bainha aberta e sai a meio;
a agulha passa por baixo do fio (que faz um arco) e de dois grupos de fios formados pelo ponto ajour e sai por cima da linha formando um nó – custa muito mais a descrever que a fazer, acreditem!

after having done the hem stitch in both sides, the thread goes under the satin stitch at the drawn thread edge and comes up in the middle;
then the needle goes under the thread (which is forming a loop) and two hem stitch bunches and comes over the thread creating a knot – it’s much easier to do than to write about this, believe me! 

e puxa-se o fio! Repetir uma e outra vez até dominar bem a tensão do fio. 
then you pull the thread! You have to repeat again and again to get the right thread tension.

Só com este ponto fazem-se muitos motivos:   juntar três grupos de fios
Just with this stitch you can do many designs:  joining three hem stitch bunches

ou juntar quatro
or joining four

sempre com o nó simples, pode-se avançar para desenhos mais complexos, como estes:
always with coral knot you can progress to more complex designs, like these:
 

 

Ponto ajour / Hem stitch

Como todos já sabem sou amadora (e tardia!) nestas coisas de bordados e costura. Fui aprendendo em livros, reais e virtuais, e em blogues.
Depois de ter escrito este artigo, fizeram-me muitas perguntas sobre bainhas abertas. Fui respondendo o que sabia e como eu fazia. Tirei, então, uma série de fotos, que se relacionavam com algumas daquelas perguntas. Por qualquer razão nunca as publiquei.
Uma vez que bordados, bainha aberta, bordado ajour e bordados portugueses são palavras frequentemente escritas nos motores de busca e através delas chegam a este blogue, segundo sou informada pelo WordPress.com, acho que chegou a hora de publicar essas fotografias.

As  all of you know I’m a dabbler (and late!) about embroidery and sewing subjects. I have been learning in books, real and virtual, and in blogs.
After writting this post, i’ve received some questions about drawn threads. I answered what I knew and how I did. Then I’ve made some photos related to those questions. For some reason they were never published.
Once embroideries, drawn threads, ajour embroidery and Portuguese embroideries are terms (in Portuguese)  people use to reach this blog, according to WordPress.com, I think it’s the moment to show you those photos.

O que escrevi anteriormente sobre bainha aberta explica como eu retiro os fios do linho. Hoje tentarei mostrar como eu faço o ponto ajour. Desculpem a má qualidade das fotografias passo a passo…  (clicar nas fotos para aumentar).
(Mary Corbet tem um tutorial muito melhor (claro!) aqui, mas trabalhado do lado direito e da direita para a esquerda) 

What I’ve written before about drawn thread explains how I draw the linen threads. Today I’ll try to show how I do the hem stitch. I apologize for the bad step by step  photos… (click  on the photos to enlarge).
(Mary Corbet has a much better (of course!) tutorial here,  but worked from right to left on the right side. I always have troubles with drawn threads, openwork, ajour embroidery, hem stitch, pulled stitch so all pictures are sooooo good for me)


Pelo avesso, e trabalhando da esquerda para a direita, com a agulha enlaçam-se 4 fios
On the wrong side and working from left to right, you join 4 threads together with your needle
 e puxa-se o fio
and pull the thread
 
espeta-se a agulha para o ponto seguinte, sempre dois fios abaixo da orla de fios tirados – só isto!
prick the needle for next stitch, always two threads down the drawn thread edge – that’s it!

Bordei a vermelho da maneira que a Mary Corbet explica no seu tutorial,  trabalhando do lado direito e da direita para a esquerda.
I’ve embroidered in red the way Mary Corbet uses in her tutorial, working on the right side and from right to left.

os pontos parece que ficam em espelho; agora é uma questão de gosto e da maneira que dá mais jeito, penso eu.
the stitches seem beeing in a mirror; now that’s a question of taste and way it works best for you, I think.

Na Encyclopedia of Needlework de Thérèse de Dillmont , on-line, pode-se encontrar, em inglês, muito sobre o assunto no capítulo 3, assim como na Antique Pattern Library, que refiro na minha página sobre livros. Todas estas referências foram-me apontadas pela Mary do blogue Needle’n Thread, como de costume!

In on-line Encyclopedia of Needlework by Thérèse de Dillmont , chapter 3,  you can find a lot about openwork as well as in Antique Pattern Library, referred in my page about books. All these books were highlighted by Mary Corbet from Needle’n Thread, as usual!
 
 
 
 
 
 
 
 

 

Bordados / Embroideries

Conjunto de 6 sacos para guardanapos

6 Napkin-bags


Este último foi o que gostei mais de bordar. Vou repetir o motivo, mas não num saco para guardanapo.

I loved to embroider this last one. Surely I’ll repeat something like this not in a napkin bag.

Usei o ponto pé de flor, ponto lançado, ponto canutilho e…
I’ve used stem stitch, straight stitch, bullion knots and…

… ponto margarida. Todos com um só fio DMC (algodão, 6 fios).

… detached chain stitch. All of them with one strand DMC (cotton, 6 strands).


This is what I’ve made for month February, as I joined “a make a month 2010”.

 

Recuperar / Restore

Não uso muito saias, no inverno. No ano passado, encontrei a minha preferida, de há mais de dez(!) anos, assim

In Winter I don’t use skirts too much. Last year my favorite one for more than ten(!) years was found like this

Guardei-a para fazer um saco mais tarde. Ontem decidi-me a tentar recuperá-la.
Colei dois pedaços de feltro do avesso (os pedaços deviam ser maiores),

I kept it to make a bag later. But yesterday I tried to restore it.
I glued two pieces of felt on the wrong side (the pieces must be larger),

 

e bordei uma flor e uma folha, com fio de lã.

and embroidered a flower and leaf with wool thread.

Parece-me que a vou usar mais umas vezes.

I think I’ll use it again.

(o flash alterou as cores…)
(the flash changed the colours…)

Acho que ainda vou fazer mais uma flor, maior…

I guess I’ll do another flower, bigger…

Ponto grilhão (antigo)! (3) / how do you call it???

E, finalmente, acho que encontrei o meu ponto grilhão!

A revista ArteIdeias, nº 163, Novembro de 2009, da editorial Nascimento, publica um esquema a que chama Ponto Grilhão Antigo. Não há qualquer referência a que fontes recorreram.

At last I think I’ve found my “ponto grilhão”!

The magazine ArteIdeias, nº 163, November 2009, ed. Nascimento, publishes a diagram called Ponto Grilhão Antigo (Ancient  Grilhão Stitch). We can’t find any source they had appealed.

How do you call it, please?

esquema ArteIdeias

ponto grilhão passo a passo;  step by step grilhão stitch
ponto grilhão antigo

Acho mesmo que é este ponto que procuro há tanto tempo. Por duas razões: a) este ponto não se pode espaçar, como o ponto palestrina (não sei o nome correspondente em português) ou o ponto haste português e b) a segunda laçada pica o tecido formando um nó que não desliza, o que não acontece nos dois pontos referidos anteriormente.
Tinha estas duas características associadas ao ponto grilhão, lá no fundo da minha memória, não sei bem porquê nem como. Já começava a pensar que só existia na minha imaginação!
Estou mesmo satisfeita por o ter encontrado!

I do think this is the stitch for so long searched. Because of two reasons: a) we can’t space this stitch as Palestrina stitch or  Portuguese knotted stem stitch and b) to make the second loop we have to pick the fabric creating a non slipping  knot, what doesn’t happened with those two stitches.
I’ve always connected both details to my ponto grilhão in my memory, can’t explain why and how. I was already thinking it only existed in my imagination!
I’m so glad I’ve found it!

ponto grilhão

ponto grilhão

Agora, leitoras Portuguesas, digam lá o que sabem sobre este ponto! O bordado das Caldas da Rainha usa muito este ponto – não acredito que não tenho nenhuma leitora das Caldas ;)
E leitoras de língua Inglesa (ou Italiana, Alemã, Francesa, Espanhola…) conhecem este ponto? E como se chama no vosso país?

Now Portuguese readers tell us what you know about this stitch! Caldas da Rainha is a Portuguese town and its embroideries use this stitch a lot – I can’t believe I have no reader from Caldas da Rainha ;)
And English language readers (or Italien, German, French, Spanish…) do you know this stitch? How do you call it in your country?

 

Portuguese knotted stem stitch ≠ Ponto grilhão? (2)

Vi este ponto nos videos da Mary Corbet, pela primeira vez. Então, confundi-o (como se lê no meu comentário) com o ponto grilhão (Palestrina stitch), que tinha encontrado no dicionário de pontos da Sharon B.
Por causa do nome convenci-me que tinha encontrado o tal ponto grilhão que procurava! É claro que rapidamente verifiquei que eram pontos diferentes.

I saw this stitch in Mary Corbet’s videos for the first time. Then I’ve mixed it with Palestrina stitch I had just found in Sharon B.’s Stitch dictionary.
Because its name I convinced myself I’d found that stitch I was looking for! Soon I found they were different stitches.

 
1 – primeiro ponto como o ponto pé de flor; pode ser trabalhado da esquerda para a direita ou de baixo para cima (prefiro esta)

1 – first stitch like stem stitch; it can be worked from left to right or from bottom to top (this is best for me)

 
2 – passar a agulha da direita para a esquerda (1ª laçada), sem picar o tecido

2 – bring the needle from right to left  (whipping), not picking the fabric


3 – fazer uma segunda laçada, sem picar o tecido – as duas laçadas formam (mais ou menos) um nó

3 – whip the stitch a second time – the two whips look like (more or less) a knot


4 – continuar como em 1, fazendo novo ponto pé de flor

4 – proceed as 1, doing a new stem stitch

 5 – agora vem a particularidade deste ponto: a laçada é feita por baixo do ponto anterior

 5- now it’s coming what I think is the detail of this stitch: the loop (whipping) is made under the former stitch

6 – e a segunda laçada é feita da mesma forma, por baixo do ponto anterior (as laçadas são feitas sem picar o tecido)

6 – and second loop (whipping) is made the same way, under former stitch (the loops are made never picking the fabric)

7 – e um novo ponto pé de flor para continuar…

7 – and a new stem stitch to progress…

[não sei o nome em português, encontrei uma tradução à letra (abreviada):  Ponto de haste Portuguêsponto haste é também uma designação para o ponto pé de flor, principalmente no Brazil, penso eu]

Este ponto não aparece no Sharon B.’s Stitch Dictionary, mas, muito recentemente, encontrei-o neste post muito bem descrito, embora aqui chamado simplesmente Portuguese stem stitch, mas é, sem dúvida, o mesmo que a Mary Corbet designa como Portuguese knotted stem stitch e mostra no video, trabalhando-o da esquerda para a direita.

We can’t find this stitch in Sharon B.’s Stitch Dictionary, but very recently I’ve found it in this well described post, here called Portuguese stem stitch, but no doubt it’s the  same stitch Mary Corbet names as Portuguese knotted stem stitch in this video, working it from left to right.   

 
 
 
 

Portuguese knotted stem stitch / Ponto haste português

Mas este continua a não ser o meu ponto grilhão. Apesar do nome e do detalhe de os “nós” ficarem ancorados no ponto anterior, e por este motivo não ser possível fazer variações neste ponto (o que, tanto quanto me lembro, era uma das características do meu ponto grilhão)

 Again this is not my ponto grilhão. Despite the name and that detail of each “knot”  is tied at the former stitch, for this reason stitch variations are not feasible (something I list with my ponto grilhão).

continua…

to be continued…

Ponto grilhão = ≠ Palestrina stitch? (1)

Por vezes dou comigo a pensar como a minha vida diária deu uma volta de 180°, nestes últimos 5 anos.
Lembro-me, perfeitamente, de começar a procurar na internet como se fazia o ponto grilhão*. E foi assim que encontrei blogues de bordados fabulosos, com trabalhos que nunca imaginei existirem. Confesso que esqueci um pouco, só um pouco, o ponto grilhão, e comecei a navegar por aí fora.  

*interesse pelo ponto grilhão: em casa dos meus Pais havia um lençol, bordado a ponto grilhão, de que eu gostava particularmente; será por isso que o ponto grilhão (frequente nos bordados portugueses) é o único ponto de bordado de que sei o nome, desde sempre – para além do ponto de cruz…  

Sometimes I find myself wondering how my daily life had a 180° turn, in last 5 years.
I can perfectly remember beginning the internet search about ponto grilhão* (palestrina stitch, i think). Then I’ve found so many fabulous blogs about embroidery, with works I’ve never thought could exist. I have to admit I forgot a little the ponto grilhão and began to burrow through the Internet.
  

*my concern about ponto grilhão: at my Parent’s home there was an embroidered sheet with that stitch I loved in particular; this could explain why I ever know so very well the Portuguese name of this stitch – common in Portuguese embroidery – when I didn’t know any others but cross stitch…  

Dito isto, vou tentar mostrar o que descobri sobre o ponto grilhão.
No livro A Enciclopédia da Agulha [a 3ª edição (sem data) comprada num alfarrabista e agora a 6ª edição, de 2003] há o seguinte esquema para o ponto grilhão, que me parece ser o mesmo que Sharon. B tem no seu dicionário de pontos com o nome de Palestrina stitch. É também o mesmo ponto que podemos ver neste video da Mary Corbet.
  

That said, I’ll try to show what I’ve found about ponto grilhão.
In the book A Enciclopédia da Agulha [3rd edition (no date) bought at a second hand bookseller and 6th edition, 2003] there is this sketch, which I think is the same Sharon B has in her Stitch Dictionary with the name
Palestrina stitch. The same Mary Corbet also shows in this video.
  

in A Enciclopédia da Agulha

   
Sharon trabalha-o da esquerda para a direita,
Sharon works from left to right  

palestrina stitch from left to right palestrina stitch from left to right

 

Mary de cima para baixo, que é como me dá mais jeito também a mim.
and Mary from top to bottom, the way I prefer too.  

palestrina stitch from top to bottom

  
Podem fazer-se pequenas variações neste ponto, como em quase todos, quer espaçando os nós quer aumentando o ponto lançado, como faz Sharon B. para mostrar melhor o ponto.
O que me parece mais o meu ponto grilhão é o que a Mary Corbet faz:  ponto lançado,  trazendo a agulha para cima muito próximo da base do ponto lançado. No exemplo da Sharon B. o ponto lançado fica mais visível, mas é claro que se pode querer mesmo esse efeito. 

You can do little variations, as in most of the stitches, or spacing the knots or doing a larger straight stitch (the foundation stitch) as Sharon B does to show better the stitch.
Mary Corbet’s stitch is the one which reminds me rather my ponto grilhão: straight stitch, bringing up the needle close to the base of it. Sharon B.’s stitch has a larger straight stitch but  it can be a variation. 
   

Ponto grilhão

Será mesmo este o meu ponto grilhão? Veremos.
Este post vai ter continuação…  

Is this really my ponto grilhão? We’ll see.
This post is to be continued…