Véspera de Natal / Christmas Eve

Este ano, antes da ceia de Natal, 11 crianças e um adulto representaram uma cena de Natal.
Muitos risos nervosos, alguns choros, muito barulho, muita atrapalhação. Os dois mais velhos têm 10 e 9 anos… os outros muito pequenos ainda. Mas foi uma grande representação com grandes e compenetrados actores! Para o ano é que vai ser!
This year, before Christmas Eve meal, 11 kids and one adult played a Nativity scene.
Many nervous laughs, some cryings, a lot of noisy, a lot of confusion. The eldest two kids are 10 and 9 years old… the others still too little. It was a great representation with big and concentrated actors! Next year it willd be much better!

 

Natal… Christmas…

Neste Natal tivemos muita sorte!

A semana do Natal foi passada, em Portugal, debaixo de grandes tempestades, ventos fortes e chuvas torrenciais. Muita gente ficou com as suas casas alagadas e mesmo destruídas. Uma região passou o Natal sem electricidade.
, no campo onde sempre nos reunimos, a semana começou mal. Todo o dia de segunda feira estivemos debaixo de chuva torrencial, vento forte e trovoadas. A meio da tarde caiu um raio, tão perto que parecia ter rebentado dentro de casa. E ficámos sem luz.
Só depois verificámos que um interruptor tinha rebentado mesmo junto do contador eléctrico e a caixa de ligação do telefone, na parede, estava rebentada e a parede chamuscada (e, claro, o modem desfeito). Uma sorte não estar ninguém ao telefone, ou na entrada, ou as crianças não andarem às escondidinhas – o cantinho do telefone é sitio priviligiado…
O pedido de ajuda local foi prontamente atendido e voltámos a ter luz. Várias lâmpadas e interruptores tiveram de ser substituídos, mas o disjuntor eléctrico funcionou e protegeu mesmo todos os aparelhos ligados. Só ficámos sem telefone e internet!
Nesse mesmo dia, à noite, estava a entrar água na sala de jantar. E a chuva continuava torrencial ! E na terça feira a casa começava a encher! Mais uma vez a ajuda local nos assegurou que logo de manhã estariam lá para ver o que se passava. Para nossa sorte a chuva não parou mas a ventania acalmou e a trovoada foi para longe. No sótão já não entrava água e os pingos na sala foram diminuindo. Na manhã seguinte fez-se a limpeza de muita folha acumulada.
Nos dias seguintes o mau tempo continuou, mas não houve mais estragos.
Mas foi muita adrenalina para os Seniores!!!

This Christmas we were too lucky!
In Portugal the Christmas week was spent under great storms, very strong gale and torrential rains. Many people saw their houses waterlogged and even ruined. One region remained without energy for several days.
There, in the country where at Christmas we gather all the family, the week began wrong. All Monday we were under torrential rain, storm and strong gale. When it was becoming dark a thunderbolt fell so nearer that seemed it was inside the house. And we stayed without energy.
Only some time later we saw a broken switch just near the counter and the phone box on the wall had exploded (so did the modem). So lucky nobody was on the phone or passing by, or kids playing around – the phone corner is so good to hide…
The local request for help was promptly attended and we got back the energy. Several lamps and switches were broken but the electric disconnector worked and protected all the connected equipments like tv or pc. We only remained without phone and internet!
At night of this same day it began entering water in the dining room by the ceiling. And rain went on pouring! And Tuesday the house would begun filling! Once more the local help assured us early next morning would be there to repair the roof. Happily despite the rain went on the wind wasn’t so strong that night. In the attic the water was no more entering and the drops in the dining room were decreasing. Next morning the roof was cleaned – many accrued leaves and lots of water!
Following days the elements went on but no more damages.
 
But it was too much adrenalin for the Seniors!!!

Mais vale tarde que nunca! Better late than never!

Comecei em Setembro a juntar todos os papéis dispersos com nomes de pontos de bordar, a maior parte em Português e Inglês.
Depois achei que seria interessante fazer um glossário, mas com a ilustração do ponto.
Aí começaram os meus problemas para encaixar as ilustrações. Depois de muitas voltas no Word, Excel e novamente no Word cheguei a uma solução. Penso eu!
E então, depois, comecei a pensar que só Português e Inglês seria muito limitativo, tanto mais que por aqui há muitas revistas de bordados em Italiano e Francês. E depois, porque não Alemão? E, então, aqui parei!
A pesquisa dos nomes em Português foi uma “dor de cabeça”. Um ponto tem diferentes nomes, conforme as regiões ou lugares. Um nome refere-se a mais que um ponto. Optei por escrever todas as designações que encontrei para um ponto e marquei com um * nomes que também designam outros pontos. E, para alguns pontos, continuo com dúvidas! Mas não me aconteceu só a mim!
 
Pedi ajudas virtuais, porque, é evidente, de outro modo este trabalho não seria possível, com um mínimo de fiabilidade. A quem?
À Mary Corbet, claro!
À Luzine Happel, que referi acerca do Schwalm Whitework, deu uma ajuda pronta e preciosa, fazendo também uma revisão minuciosa do Alemão.
À Gianna e Fulvia.
À Elena.
 
A todas o meu muito OBRIGADA!
 
Copiar / Copy
(o link fica disponível na coluna lateral)
(link remains available at right column)


Last September I began joining all the dispersed papers with embroidery stitch names I had, mostly in Portuguese or English.
Then I thought it would be great to do a glossary, but with a stitch picture. There my troubles began fitting pictures in the right places. After many do’s and undo’s in Word, Excel and Word again I got a solution. I think!
Then again I began thinking only Portuguese and English would be much restrictive, since here in Portugal we have many Italian and French embroidery magazines. And then why not German? Here I stopped!
The search of Portuguese names was a “headache”. A stitch has a different name at different places. A name refers to more than one stitch. I chose to write the different names I found for a stitch and added a * to the name we can find referring to another stitch. And for some stitches I still have some doubts (in Portuguese)! But it didn’t happened only to me!
 
Of course I’ve asked for virtual helps! Otherwise this work couldn’t be possible with a minimum of reliability. To whom?
To Mary Corbet, of course!
To Luzine Happel, so referred about Schwalm Whitework, gave a precious and prompt help and made a meticulous review of German.
To Gianna and Fulvia.
To Elena.
 
To you all, my big THANK YOU!

Etsy shops

agulha não pica *

Agulha Não Pica (Portuguese for Needle Doesn’t Prick) offers an experience that is inspired in ancestral arts: embroidering, hole-punching and stamping.

We believe that a needle never pricks when used with the head and the heart! We can prove it to those that learn to embroider with our kits.

It is a Portuguese idea born out of the passion for our threads, cork and fabrics. We use traditional Portuguese materials hoping they can be appreciated everywhere.

Out kits are “treasured” in charming “taleigos” (patchwork drawstring bags).”

It has beautiful little Christmas gifts for children. Go there and take a look!

“mundoaocolo” is a Portuguese brand with a heighten awareness for sustainability (that uses only national products such as cork, a genuinely sustainable and Portuguese product by excellence.
Our lap trays are handmade and use traditional and sustainable Portuguese materials: cork and cotton fabrics.
 
The world on your lap and the trees thank you!
The trees on your lap and the world thank you!”
A very good idea for cozy lap trays! They are beautiful!
 
*conflict of interests (LOL!): the owner is a good friend of mine!!!

A história de uma máquina de costura / The story of a sewing machine

you can find the English version here

Esta máquina tem uma longa história. Tentarei contá-la em poucas palavras.

Em 1893 os pais da minha sogra casaram. O noivo ofereceu esta máquina à sua noiva. Tiveram dez filhos. A minha sogra era a mais nova e foi a última a casar.

E foi esta máquina que coseu, remendou e virou a roupa dessa grande família. As crianças eram tantas que o casal resolveu comprar cabedal e sola por junto e, todos os anos, chamavam um sapateiro que durante 8 dias gaspeava e arranjava calçado, sempre nesta máquina. E a máquina lá continuou a trabalhar para os enxovais dos filhos, à medida que iam casando, e para os enxovais dos netos, à medida que iam nascendo.

Quando a minha sogra se casou, a mãe deu-lhe a máquina.

Vinte e dois anos depois, um ano depois da mãe morrer, a minha sogra juntou os irmãos, filhos e sobrinhos para recordarem a mãe e avó e a máquina teve lugar de honra na sala de jantar. Escreveu, à mão, A história de uma máquina de costura nove vezes, em cartolina, cosida na máquina como um pequeno livro, para dar aos seus irmãos. Isto foi em 1969.

Nós ficámos com a máquina, quando a minha sogra morreu. E ainda trabalhou na nossa casa.

Em Outubro passado a minha sogra faria 100 anos. No início do ano começámos a contactar primos para se juntarem a nós, num almoço em Outubro. No passa-palavra conseguimos os endereços de todos. Fizemos uma árvore da família completa. Esperávamos ter para o almoço uns 50 primos. No final contámos 87 cabeças! Só 6 faltaram ao encontro. Distribuímos uma cópia d’ A história de uma máquina de costura (muito maior que estas curtas palavras), especialmente para os mais novos – juntámos 4 gerações.

É claro que a máquina antiga teve lugar de honra para recordar e celebrar a minha sogra!

(esta foto é a entrada para um sorteio da Lisa – aqui)

All the way from India… / Toda o caminho da India…

… to Portugal! for sure faster than Vasco da Gama’s voyage from Portugal to India.

… para Portugal! de certeza mais rápido que a viagem de Vasco da Gama de Portugal para a Índia.

from dear Deepa!
Her blog This and that… my random thoughts is a precious source of information for Indian embroidery – you must not fail it. Deepa shows us how to do many Indian stitches, teaches the Indian names and refers to the different embroidery threads used in the beautiful Indian embroidey.

da querida Deepa!
O blogue This and that…my random thoughts é uma fonte de informação preciosa sobre bordado indiano – não o percam! Deepa mostra como fazer muitos pontos indianos, ensina os nomes e escreve sobre as diferentes linhas indianas usadas no bordado indiano, que é tão bonito.

I waited two days for better weather but these pictures were the best I got . The scrap of fabric is purely Indian – we hardly can see its beauty, sorry!
Deepa explains the use of the different threads:
the biggest spool is called Cone thread and used for Kamal-Kadai and Dori embroidery*;
the yellow and cream are for hand embroidery as well machine embroidery;
the silk jari yarn is usually used for machine and tambour work;
she still added a set of different needles and as she hasn’t seen much embellishments in my blog (it’s so true!) she decided sending me some kundans (rhinestones)!!!
And look at that so beautiful envelope where she sent her nice words!
I don’t know how thank you but writting a single and big: Thank you, Deepa!
*now go there to understand what she is talking about (see tutorials and Indian embroidery).
Esperei dois dias que o temopo melhorasse, e estas fotos foram as melhores que consegui. O tecido é genuinamente Indiano – mal se vê como é bonito, desculpem!
Deepa explica a utilização dos diferentes fios:
o tubo maior chama-se linha Cone e é usado para os bordados Kamal-kadai e Dori*;
o amarelo e creme são tanto para bordar à mão como à máquina;
o tubo seda jari é usado para máquina e trabalho com bastidor;
juntou ainda um conjunto de várias agulhas e como não tem visto muitos enfeites no meu blog (completamente verdade!) decidiu enviar-me alguns!!!
E reparem no lindo envelope onde meteu uma carta cheia de palavras bonitas e simpáticas!
Não sei como agradecer senão escrevendo um simples e grande: Obrigada, Deepa!
*agora vão para perceberem o que é isto (vejam em tutoriais e bordado indiano).

Outra vez! Again!

Só agora reparei que o www.blogger.com não me reenvia os comentários “sem resposta” [non-replycomment@blogger.com] para o meu e-mail do blogue!!! Há uns meses aconteceu o mesmo! Ainda não percebi o porquê. Alguém sabe???
Não faço ideia desde quando isto está a acontecer.

Peço imensas desculpas a quem não respondi por causa desta situação!

Only now I’ve noticed that www.blogger.com hadn’t redirected all the[non-replycomment@blogger.com] to my blog e-mail!!! Some months ago it happened just the same! I haven’t yet understand why. Somebody knows???
I’ve no idea since when this is happening.

I’m apologising for any lack reply!