Embroidery vs Surgery / Bordados vs Cirurgia

Há dias tive um comentário sobre se determinado ponto de bordar não seria o ponto de “sutura simples”. O que me fez sorrir, porque, há já algum tempo, andava para vos contar uma pequena história.
Durante muitos anos trabalhei num Bloco Operatório.
Quando tive que ficar em casa, tive que me ocupar com alguma coisa e virei-me para as agulhas e linhas (coisa que nunca me tinha passado pela cabeça). E não associei essa escolha ao meu passado profissional.
Só mesmo quando resolvi abrir um blogue e dar-lhe o nome de agulhas da méri – com o subtítulo: uma amadora com estas agulhas – é que fiz essa pequena ligação. Mas pensei que ficaria por aí.
Uns tempos mais tarde, estava eu a fazer umas almofadas para alfinetes, cheguei àquela parte em que, depois de se meter o enchimento, se tem que rematar a abertura. E eu, que nunca tive lições de corte e costura, lembrei-me que na cirurgia plástica se fazia uma sutura para juntar os bordos da ferida cirúrgica que a tornava quase invisível e o fio da sutura não ficava a ver-se, só as pontas de um lado e outro.


Lately I had a comment asking me if an embroidered stitch could be named “single suture”. This made me to smile because long ago I was about to tell you a little story.
For many long years I’ve worked in an Operating / Theatre Room.
When I had to stay at home I had to busy myself with something and I’ve chosen needles and threads (something that had never crossed my mind). Then I haven’t connected that choice to my professional past.
Only when I decided to write a blog and named it méri’s needles – with the subheading: an amateur with these needles – I made that little link. But I thought that it would be all.
Later on, I was making some pincushions and had to sew that little opening to finish it. I’ve learnt nothing about sewing so I didn’t know how to finish the seam. Then I remembered that in plastic surgery it was used to do a subcutaneous suture that joined the two sides of the surgical wound and the thread became unseen.

Não me recordo do termo técnico, só sei que se apanhava tecido celular subcutâneo de um lado e do outro. Mesmo sem porta-agulhas e agulha curva assim fiz e resultou muito bem.

I can’t remember the technical term; I only know that even without a holder needle or a curved needle it works very well.

Later I’ve found this and I realised that I just did what there is called the “ladder stitch”. It’s fun that it draws our attention to a curved needle.

Mais tarde encontrei este link que é precisamente o que fiz (não sei o nome do ponto de bordar em português). É engraçado porque chama a atenção para o facto de ser mais fácil fazê-lo com uma agulha curva.

E para acabar as ligações entre todas as agulhas e fios: há alguns meses Denise Felton chamou a atenção para este painel de pontos de sutura do século XVIII tirada por Ickybitty no Medical History Museum em Zurique, que é uma beleza. Fiquei cheia de curiosidade!

And to finish the connections between all kind of needles and threads: some time ago Denise Felton pointed out this surgery stitch sampler from 18th century taken by Ickybitty in Medical History Museum Zurich, which is a beauty. I would like to visit it!

As voltas que a Vida dá!   Life has its own circles!

 

Tutorial? a kind of…

Perguntaram-me como faço os alfinetes flores. Aqui vai uma espécie de tutorial com algumas fotografias, já tiradas há algum tempo; hoje tirei mais umas para tentar explicar, por imagem, alguns pormenores.

I was asked how I make the flower brooches. Here is a kind of tutorial with some photos taken a while ago; today I’ve taken another ones to explain, by image, some details.

Material

All you need is :
– ribbons for embroidery (here I can’t find silk ribbons) or thick silk threads
– some fabric scraps – I like linen, of course! and have lots of linen scraps…
 
– fitas ou seda para bordar;
– alguns pedaços de tecido – gosto mais do linho e tenho muitos bocadinhos…
I began playing with the ribbons, doing all kind of stitches.
Comecei por experimentar as fitas, fazendo vários pontos.
You must begin in the center, here with french knots and a narrow ribbon, then with a larger ribbon (or not) you go around and around with chain stitch, whipped* straight (or stem) stitch or stem stitch; you can change the colour or width of the ribbon. Never pull too much the ribbon or thread to give a fluffy aspect.
* whipping is a combination stitch where a second thread is worked over a foundation line of another stitch; it can be worked over a multitude of stitches (in The Embroiderer’s Handbook, page 151)
here you can several whipped stitches
 
Deve começar-se pelo centro, aqui fiz nozinhos com uma fita estreita, depois com uma fita mais larga (ou não) anda-se à roda bordando ponto cadeia, ponto lançado e enrolado** ou ponto pé-de-flor; pode-se mudar de cor e largura das fitas. Nunca puxar demasiado a fita ou linha, para dar um aspecto mais fofo.
** não sei traduzir para português: whipping é um ponto feito em duas fases em que um segundo fio é enrolado sobre a linha de ponto principal; pode ser trabalhado sobre vários pontos.
vários pontos whipped aqui
I’ve learnt that when you want to finish the flower is easier if your last round is even more fluffy to hide the fabric.

Aprendi que, quando se quer acabar a flor, é mais fácil se a última volta de bordado é ainda mais solta, de forma a esconder o tecido.
Another brooch made with a narrow ribbon in two colours and french knots.
 
Outro broche feito com fita estreita de duas cores e nozinhos.
On my last flower I decided to try the silk threads (I have no photos) and add two leaves as Sharon B. teaches so well here.
 
Na minha última flor decidi experimentar a seda de bordar (não tenho fotografias) e juntar duas folhas como a Sharon B. ensina tão bem aqui.
Now you have to sew and hide the back work, something like this:
 
Agora tem que se coser e esconder o avesso, qualquer coisa como isto:
Cobrir com um pedaço de tecido.
 
Wrap with a bit of fabric.
Cortar um pouco de feltro onde se cose o fecho (não tenho nenhum para a fotografia!) e coser à flor.
 
Cut the felt where the lock brooch(?) is sewn (I’ve none for the photo!) and sew to the flower.

In this flower I’ve used ribbons in several colours and the same stitch – whipped straight stitch:Nesta flor usei fitas de várias cores e o mesmo ponto – ponto lançado e enrolado:

I wanted this one much bigger than the former so used ribbons of different width and colours in several stitches – french knots, stem stitch, chain stitch:
 
Queria esta flor maior que a anterior por isso usei fitas de diferentes larguras e cores e diversos pontos – nozinhos, ponto pé-de-flor, ponto cadeia:

E esta é a primeira tentativa com fios de seda – nozinhos, ponto cadeia e ponto lançado e enrolado.
 
And this is the first trial with silk threads – french knots, chain stitch and whipped straight stitch.
And it’s done! Any tips and tricks???
 
E está feito! Algum truque ou dica???

Pequena mochila / Little backpack

Práticas para crianças levarem as suas coisas para a praia, piquenique, passeio…etc..

Perfect for children carry their things to the beach, picnic, walk… and so on.

Made by this Nikki’s tutorial, with a little change: i’ve cut 1 rectangle of fabric 35x95cm instead of two 35×47,5cm. I’ve made no pocket too.

Segui o tutorial da Nikki, com uma pequena diferença: cortei um rectângulo de tecido com 35x95cm em vez de 2 de 35×47,5cm. Também não fiz o bolso.

Linen embroidered towel #14 / Toalha de linho bordada #14

Toalha de linho, com bainha aberta e bordada.
 
Linen embroidered towel and drawn threads.

Nunca aqui mostrei o avesso destas toalhas. Só depois de irem para os seus destinos é que reparo que não fiz fotografias. Hoje não me esqueci!
 
I’ve never shown the back of the embroidery in these towels. Only after they were gone to their owners I remember I had no photos. Today I remeber!
It doesn’t look too bad, I think!

Resources / Recursos

Já escrevi aqui que, muitas vezes, não sei o nome dos pontos de bordar, em português. O que é uma vergonha! Não fui uma menina prendada que aprendeu a bordar em pequenina. Acordei tarde e aprendi por mim e uma das grandes responsáveis, também aqui referida várias vezes, é a Mary Corbet e os seus videos de pontos de bordar. Um pouco antes de a encontrar já tinha descoberto a Sharon B e o seu Stitch Dictionary in a minute ago. As duas são o meu grande recurso sobre bordados. Claro que há muitas mais fontes online, mas estas são as minhas preferidas.
Fui, por isso, aprendendo o nome dos pontos em inglês, embora tenha ideia, muito vaga, dos nomes portugueses.
Já percebi que conforme a região há pontos que são designados de maneira diferente, como o ponto pé de flor, que também já ouvi designado por ponto haste, corda ou cordão.

Quando andei pela feira do livro e encontrei este livro, fiquei toda contente e resolvi comprá-lo para ver se aprendia alguma coisa dos nomes de bordar, em português.
 
I’ve often written that I don’t know the embroidery stitches by its Portuguese names. Shame on me! I wasn’t a gifted girl who learnt to embroider when was very little… I awaked late and learnt by myself and one of the most responsible persons for that – and several times here referred – is Mary Corbet and her Video Library of Stitches. A little before I found out her I had met Sharon B and her Stitch Dictionary in a minute ago. Both are my great resources for embroidery. Of course there are other resources online but they are I like better. So I was learning the stitches names in English and I vaguely reminded some names in Portuguese.
I already understood that according to different regions the names change.
 
So I was very happy when I found this book translated into Portuguese in the booksellers’ fair.
 
Mas… quando comecei a folheá-lo, mesmo não sendo entendida no assunto, surpreendi-me com a tradução à letra do herringbone stitch para ponto de espinha de arenque;
 
But… when I began reading it I was surprised with (even not being an expert in the matter) the literal translation from herring-bone stitch;
e do seed stitch para ponto semente, quando sempre ouvi chamá-lo ponto areia.

 

 
and from seed stitch (always heard to name it as sand stitch – literal translation to English)

Mas o que mais me fez perder a confiança na tradução deste livro foi ver o blanket stitch (também buttonhole stitch) traduzido para ponto de cobertor! Ainda se fosse para ponto recorte, como já ouvi…
 
But what most make me not to trust this book translation was reading the literal translation from blanket stitch ( we use something like buttonhole stitch, never blanket…)

Fortunately it appears one stitch (i don’t know what is the name in the English version of this book) well translated to our ponto de Arroiolos, used in beautiful and well known tapestries from Arroiolos, worked in a particular wool thread and particular colours.
After all it is to be regretted that more attention wasn’t given to the translation.
Felizmente o nosso ponto de Arroiolos aparece bem traduzido. Penso que é de lamentar não ter sido dada mais atenção à tradução.

Tapete de Arroiolos (ponto pequeno)

Arroiolos tapestry (little stitch)Tapete de Arroiolos (ponto largo) – feito por mim há muitos anos.

Arroiolos tapestry (large stitch) – handmade by me long ago.