Two questions / Duas perguntas

Gosto mesmo muito destes monogramas. Até agora só bordei a versão mais pequena, mas já estou a preparar-me para bordar um na versão maior. Parece-me que deve haver alguma habilidade especial para bordar o formato pequeno – ao perto notam-se muitas imperfeições. Talvez o maior seja mais fácil.

I do love these monograms. Till now I’ve only embroidered the little ones but I’m ready to embroidered one in a bigger size. I think I should have some particular skill to embroider the little size – a close-up shows so many faults. Maybe the bigger one would be easier.
These M and R were embroidered with DMC 25, for family’s napkin-bags I am doing.


Estes M e R foram bordados com DMC 25, para os sacos para guardanapos que ando a fazer para a família.

o mesmo linho, a mesma linha DMC 25
same linen, same thread DMC 25

That linen was over and I tried the same thread in a medium-weight linen (Mary Corbet said) and it was a disaster.

Aquele linho acabou e tentei a mesma linha no linho que mais uso, mais aberto e foi um desastre.

The faults are soooo big.

As imperfeições são ainda maiores.

Here you can see different linens, same thread.

Aqui podem ver-se os linhos diferentes, a mesma linha.

Usei, então, a linha que uso habitualmente neste linho: DMC perlé 8. Gosto mais, e é mais fácil embora algumas imperfeições estejam lá.

Then I used the thread I always use with this linen: DMC perlé 8. I like better, and it’s easier, though some faults remain there.

o mesmo linho, diferentes linhas

same linen, different threads

E queria deixar duas perguntas a quem por aqui passa, agradecendo, desde já:

– como escolhem as linhas de bordar versus tecidos (ou vice-versa)?

– como se evitam todas aquelas imperfeições num modelo cheio de curvas e contra-curvas?

And I want to ask my readers two questions, thanking in advance:

-how do you choose the embroidery threads versus fabrics (or vive versa)?

– how do you prevent those faults in a pattern full of curves and counter-curves?

Obrigada!

Thank you

Advertisements

Shopping

Fomos a Bragança. Eu como turista. Fiquei na zona antiga e resolvi procurar uma qualquer retrosaria antiga. Logo ali, junto da Praça da Sé vi uma loja antiga, com novelos para crochet, toalhas, pijamas na montra.

Entrei e encontrei uma senhora muito simpática. Perguntei se tinha linhas de seda para bordar. Sem grande entusiasmo disse que tinha algumas, que cor queria. Respondi que gostava de ver o que tinha.

(ando bastante interessada em saber mais sobre os bordados de Castelo Branco, daí o meu interesse pelas sedas)
Começou por trazer duas caixas. À medida que me viu seleccionar as cores foi descobrindo mais e mais caixas. Fomos conversando sempre.
Contou-me que a única cliente dos últimos anos fazia muito bordado de Castelo Branco, mas tinha ficado doente e já não trabalhava.
Explicou-me que estas sedas são de fabrico português, muito antigas e já não se fazem.
As meadas são seda artificial, as outras – que se vendem em pequenas quantidades – são seda vegetal. Disse ainda que a seda Ridouro – uma seda muito mais fina que encontrei em Braga, na Páscoa – não tinha e também já não se fabricava (ao contrário do que me disseram em Braga).

E contou esta coisa extraordinária: os pescadores de truta espanhóis são agora os seus clientes para estas sedas. Usam pequenos fios de seda e esta serve de isco devido ao seu brilho. Segundo eles a truta tem muito boa visão e vê o brilho da seda de muito longe.
O tempo voou e tive pena de não ter podido ficar o dia todo na conversa. E também de ter deixado tanta seda para as trutas!

Se alguém que por aqui passe tem alguma coisa a dizer sobre o bordado de Castelo Branco e sedas portuguesas, diga, sim???? Tenciono ir em breve a Castelo Branco e gostava de levar alguns contactos.


We have done a trip to Bragança, a Portuguese town in north-east close to the frontier with Spain. Me as tourist. I stayed by the old town and looked for any old haberdasher’s shop. Just there, near the old cathedral I saw an old shop with some towels, pyjamas and some balls of yarn in the shop-window.

Inside I met a very nice lady. I asked if she had silk threads for embroidery. Whithout too much enthusiasm she said she had some and asked which colour I wanted. I told her I would like to see what she had.
She brought only two little boxes. As I was choosing different colours she was finding more and more little boxes. We were talking all the time.

She told me that the only buyer she had for the last years was a woman who did embroideries from Castelo Branco. She is still alive but too ill to work.
I was told that these silks are all Portuguese, very old and now discontinued.
The skeins are artificial silk, the others – which are sold in little quantities – are vegetal silks. About Ridouro silks she has never sold them because they are too thin and now are discontinued too, she says.
And she told this extraordinary thing: the Spanish anglers of trout are her best buyers of these silks now. They use little bits of silk and used them as baith due to its brightness. According to them the trout has a very good sight and sees the bright of silk from a great way off.

The time flew and I felt for having left so much silk to the trouts!

Embroidered linen towel 13 / Toalha de linho bordada 13

Drawn threads are addicted…
 
As baínhas abertas são viciantes…
The other napkin-bags came into use at home. So I made another ones for school (but it seems my daughter didn’t like them…)
 
Os outros sacos para guardanapos estão a ser usados em casa. Por isso fiz outros para a escola (parece que a minha filha não gostou muito…)

What to do with lace scraps? / Que fazer com restos de renda?


I have lots of them – old and new.

Tenho muitos – velhos e novos.

I’ve done two napkin-bags (hope to do more…) with a damaged old lace and embroidered a letter from Mary Corbet’s celtic monograms. M is my bag.

There are other projets I hope to carry out soon…

Fiz dois sacos para guardanapos (espero fazer mais…) com uma renda antiga um pouco estragada e bordei uma letra do alfabeto celta da Mary Corbet. O M é o meu.

Há mais projectos que conto fazer em breve…

Drawn thread / Baínha aberta

Só hoje reparei que não mostrei o pormenor da baínha aberta da toalha de linho.
 
Only today I saw I’ve not showed the drawn thread detail of the linen towel.

What diference between a photo with and without flash…
Que diferença entre uma fotografia com e sem flash…

Saco de guardanapo / Napkin bag

Há dias a Pal pediu-me para fazer uns sacos para guardanapos para as filhas levarem a merenda para a escola. Já há muito tempo que andava para os fazer, para renovar os velhinhos cá de casa. Mas, claro, as netas primeiro!
 
A while ago Pal asked me to do two napkin-bags to take her daughters’ snack to school. For long I was thinking about doing some to renew our old ones. But first my grand daughters, of course!

I think these ones will stay at home use – I’ll do another ones in cotton and whithout embroideries…to school.
Parece-me que estes ficarão para uso caseiro – farei outros em algodão e sem bordados…para a escola.

Embroidered linen towel / Toalha de linho bordada

Para a Primeira Comunhão do sobrinho neto mais velho.
For my eldest grand nephew’s First Communion.

From Mary Corbet’s monograms for hand embroidery. Thank you so very much for everything you have been teaching, Mary!

De Mary Corbet’s monograms for hand embroidery. Muito, muito obrigada por tudo o que tem ensinado, Mary!

assinatura: tia avó méri
signature: grand aunt méri